Deputados aprovam aumento extraordinário das pensões. Chega no mês seguinte à entrada em vigor do OE

O aumento extraordinário das pensões vai chegar chegar às carteiras dos pensionistas no mês seguinte à entrada em vigor do Orçamento do Estado. Propostas foram aprovadas, esta segunda-feira.

Os deputados da Comissão de Orçamento e Finanças (COF) aprovaram, esta segunda-feira, o novo aumento extraordinário das pensões mais baixas. As propostas aprovadas preveem que esse reforço chegue às carteiras dos pensionistas no “mês seguinte à entrada em vigor” do Orçamento do Estado para 2020 e não em agosto, como tinha sugerido a bancada socialista.

Os beneficiários de pensões até 1,5 vezes o Indexante dos Apoios Sociais (isto é, 658,2 euros, por mês) não só vão receber um aumento decorrente da inflação e do crescimento económico (0,7%), mas também vão usufruir de um reforço extra, perfazendo uma subida de 10 euros, em 2020. Isto para as pensões que não foram atualizadas entre 2011 e 2015. Para aquelas que foram aumentadas nesse período, o aumento extra é de seis euros.

Para os pensionistas com pensões acima dos 1,5 IAS (658,2 euros, por mês), o PCP também previa um aumento adicional de dez euros, mas esta alínea da proposta acabou por ser chumbada.

De notar que o aumento de dez euros em causa resulta da soma da subida normal (os tais 0,7%) com o reforço adicional que será sentido a partir do mês seguinte à entrada em vigor do OE; isto é, os dez euros são o valor total de acréscimo sentido pelos pensionistas.

Por exemplo, uma pensão de 600 euros subiu 4,2 euros em janeiro à boleia da inflação e do crescimento económico. A partir do mês seguinte à entrada em vigor do OE, subirá mais 5,8 euros, perfazendo o total de dez euros.

(Notícia atualizada às 19h43 com sentido de voto do PSD corrigido)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Deputados aprovam aumento extraordinário das pensões. Chega no mês seguinte à entrada em vigor do OE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião