FC Barcelona adere ao blockchain. Tokens vão permitir aos fãs escolherem a música que toca nos golos de Messi

O clube de Camp Nou prepara-se para emitir tokens, uma "espécie" de moeda digital, que permitirá aos fãs participar em algumas decisões do clube.

O FC Barcelona vai aderir ao blockchain. O clube catalão prepara-se para avançar com a emissão de tokens, uma “espécie” de moeda digital, que serão disponibilizados aos fãs. Estes tokens poderão ser, depois, utilizados pelos adeptos para participarem em algumas decisões do clube, avança a Bloomberg (acesso condicionado).

Os tokens, a emitir pelo clube em parceria com a Chiliz, vão estar disponíveis a partir do segundo trimestre de 2020. Assim que forem lançados, estarão disponíveis 40 milhões destes “Barça Fan Tokens”, a um preço de dois euros cada, sendo que a maior parte dos proveitos reverte a favor do FC Barcelona, diz o clube em comunicado.

Ao adquirirem estas “moedas”, os adeptos catalães vão poder, depois, através da aplicação Socios.com participar em inquéritos sobre o dia-a-dia do clube de Camp Nou, bem como ganhar prémios exclusivos caso façam parte desses inquéritos, ou participar em experiências únicas relacionadas com o Barça. Segundo a Bloomberg, podem inclusivamente escolher a música que irá passar no estádio de cada vez que a equipa de Messi marcar um golo.

O FC Barcelona é o nono clube a aderir aos tokens. Além dos catalães vários clubes conhecidos, como, o francês Paris Saint-Germain ou a Juventus, equipa italiana onde joga Cristiano Ronaldo, já tinham aderido à emissão de tokens. “Nós não estamos focados nos adeptos que vão ao estádio. A ideia é atingir 99,9% das pessoas que não vão aos jogos“, aponta Alexandre Drefus, diretor executivo do Socios.com.

Ao mesmo tempo, Josep Pont garante que este acordo permitirá “desenvolver ações de marketing e parcerias inovadoras numa clara aposta na esfera digital, por forma a aproximar o clube dos fãs a nível mundial”, aponta o responsável pela área comercial do FC Barcelona, citado na nota de imprensa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

FC Barcelona adere ao blockchain. Tokens vão permitir aos fãs escolherem a música que toca nos golos de Messi

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião