CGD envia carta de 32 páginas a clientes das contas low cost

  • ECO
  • 14 Fevereiro 2020

Os clientes com Serviços Mínimos Bancários do banco público estão a receber uma carta a explicar, entre outros, o valor das comissões. Contudo, não diz que passou a cobrar em janeiro.

Os clientes com serviços mínimos bancários da Caixa Geral de Depósitos (CGD), estão a receber uma carta com 32 páginas a informá-los sobre as “condições gerais de abertura de conta”. De acordo com o Correio da Manhã (acesso pago), este documento está a preocupar, sobretudo, os clientes mais idosos que não percebem o porquê da carta.

O documento com 92 cláusulas apresenta, entre outros, informações sobre meios de movimentação, bem como formas de reclamação. E explica também que as comissões nestas contas não podem representar anualmente “um valor superior a 1% do indexante dos apoios sociais”, mas não refere que, no início do ano, a CGD passou a cobrar pela conta de serviços mínimos bancários — isenta quem receba menos de 635 euros mensais.

Ao CM, fonte do banco público explica que o envio deste documento “decorre de uma obrigação regulatória imposta à Caixa”, acrescentando que não há alterações nem à conta nem aos serviços associados.

Comentários ({{ total }})

CGD envia carta de 32 páginas a clientes das contas low cost

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião