5 coisas que vão marcar o dia

Nova ronda negocial entre Governo e sindicatos , divulgação da síntese de conjuntura económica, ida do ministro das Infraestruturas ao Parlamento e regresso de Portugal aos mercados marcam o dia.

Uma nova ronda negocial entre o Governo e os sindicatos sobre aumentos salariais na Função Pública está em destaque no dia em que o ministro das Infraestruturas é ouvido no Parlamento sobre a ferrovia. Portugal regressa ainda aos mercados para emitir dívida de curto prazo, enquanto é conhecida a síntese de conjuntura económica relativa ao primeiro mês do ano.

Sindicatos e Governo discutem aumentos salariais

O Secretário de Estado da Administração Pública, José Couto, reúne-se com os Sindicatos da Administração Pública para discutir aumentos salariais para os funcionários públicos. Os encontros começam às 9h00 com a Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública (CGTP) a ser a primeira a ser recebida. Seguem-se a Frente Sindical e a FESAP – Federação dos Sindicatos da Administração Pública (UGT).

Portugal vai ao mercado para emitir dívida de curto prazo

O IGCP regressa aos mercados, esta quarta-feira, para realizar dois leilões de dívida de curto prazo. A agência pretende obter entre 1.000 milhões e 1.250 milhões de euros em Bilhetes do Tesouro a três e 11 meses.

Como está o clima económico em Portugal?

O Instituto Nacional de Estatística divulga a Síntese Económica de Conjuntura relativa a janeiro. Será assim possível saber qual está a ser o comportamento da atividade económica em Portugal, bem como está a evoluir o indicador de clima económico. Os últimos dados relativos a dezembro, mostram que o indicador de atividade económica, disponível até novembro, diminuiu e o indicador de clima económico, disponível até dezembro, estabilizou.

Ministro das infraestruturas vai ao Parlamento sobre a ferrovia

Pedro Nuno Santo, ministro das Infraestruturas e da Habitação, vai ao Parlamento para uma audição na Comissão de Economia, Inovação, Obras Públicas e Habitação. Um dos temas fortes da audição será o Programa Ferrovia 2020, cuja discussão foi requerida pelo Bloco de Esquerda e CDS-PP.

Diretor da Polícia Judiciária ouvido no Caso Tancos

Luís Vieira, diretor nacional da Polícia Judiciária Militar (PJM), é chamado a testemunhar no âmbito do processo sobre o roubo das armas de Tancos do qual é acusado a par de outros 22 acusados, incluindo o ex-ministro da Defesa Azeredo Lopes, o ex-porta-voz da PJM Vasco Brazão e o ex-fuzileiro João Paulino. Todos respondem por um conjunto de crimes que vão desde terrorismo, associação criminosa, denegação de justiça e prevaricação até falsificação de documentos, tráfico de influência, abuso de poder, recetação e detenção de arma proibida.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião