Número de mortos com coronavírus ultrapassa os dois mil

  • Lusa e ECO
  • 19 Fevereiro 2020

O número de mortos na China devido ao novo coronavírus (Covid-19) subiu hoje para os 2.004, depois de as autoridades de saúde terem registado 136 novas mortes.

O número de mortos na China devido ao novo coronavírus (Covid-19) subiu para os 2.004, depois de as autoridades de saúde terem registado 136 novas mortes. Os novos casos de infeção ascendem no país aos 1.749, totalizando 74.185, de acordo com o mais recente balanço da Comissão Nacional de Saúde da China.

Até à meia-noite local (16h00 de terça-feira em Lisboa) tinham sido registados 11.977 casos de infeção graves, sendo que 14.376 pessoas estavam recuperadas.

O Covid-19, vírus que causa infeções respiratórias como pneumonia, foi detetado em dezembro em Wuhan, na província de Hubei, onde várias cidades foram colocadas sob quarentena, medida que abrange cerca de 60 milhões de habitantes. Fora da China, há a registar um morto nas Filipinas, um no Japão, um em França e um em Taiwan. Entretanto, foi confirmada uma nova morte em Hong Kong. Um homem de 70 anos infetado com o coronavírus morreu esta quarta-feira em Hong Kong, elevando para dois o número de vítimas mortais naquele território. Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, há 45 casos confirmados na União Europeia e no Reino Unido.

A Organização Mundial de Saúde declarou o surto do Covid-19 como uma emergência de saúde pública internacional face ao risco elevado de propagação do novo coronavírus à escala global.

Começam a desembarcar passageiros de cruzeiro sob quarentena

Os passageiros do cruzeiro sob quarentena a sul de Tóquio começaram esta quarta-feira a desembarcar, depois de concluído o período de isolamento fixado pelas autoridades para evitar a propagação do novo coronavírus. Pelas 11h (02h em Lisboa) saíram os primeiros passageiros do navio Diamond Princess, em quarentena desde 3 de fevereiro no porto de Yohokoma, a sul de Tóquio, depois de ter sido detetado pelo menos um caso de infeção com o Covid-19, cujo surto começou no final de 2019 na cidade chinesa de Wuhan (centro).

Ao longo do dia, as autoridades preveem a saída de cerca de 500 passageiros, sempre e quando o resultado das análises realizadas sejam negativos para o coronavírus. A operação de desembarque vai prolongar-se até sexta-feira. A bordo do Diamond Princess chegaram 3.711 pessoas, 2.666 passageiros, de meia centena de nacionalidades, e 1.045 tripulantes.

À saída do barco, os primeiros passageiros foram acompanhados por funcionários do Ministério da Saúde japonês, equipados com fatos protetores e máscaras faciais, a táxis e autocarros. As autoridades japonesas criaram um cordão de segurança junto dos muitos jornalistas presentes no porto de Yokohama para proteger a identidade de quem se encontrava a bordo.

Até terça-feira à noite, o resultado das análises feitas a 542 pessoas a bordo do navio deu positivo. Além destes casos no cruzeiro, foram detetados 61 infetados com o Covid-19 no país, de acordo com o último balanço. Os infetados no Diamond Princess foram levados para centros médicos, enquanto dezenas que não estavam doentes foram repatriados.

Dos 3.100 passageiros e tripulantes a bordo do cruzeiro, os de idade mais avançada foram os primeiros a desembarcar. As autoridades japonesas vão continuar a vigiar o estado de saúde de todas as pessoas que deixaram o cruzeiro, incluindo aquelas que apresentaram análises negativas.

(Notícia atualizada às 11h12 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Número de mortos com coronavírus ultrapassa os dois mil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião