Farfetch aposta em novo nicho: coleções semanais exclusivas

Com parceiros-chave e com produtos próprios, unicórnio fundado por José Neves lança o primeiro "Beat" em abril.

A Farfetch continua a apostar num novo nicho de negócio no luxo: a plataforma fundada pelo português José Neves vai lançar o “Farfetch Beat”, um lançamento global semanal de produtos colecionáveis. O primeiro produto, que terá venda exclusiva na plataforma, será apresentado já em abril, anuncia a empresa em comunicado.

O novo produto da Farfetch pretende “alavancar uma comunidade exclusiva de parceiros, marcas do grupo New Guards Group, colaborações com boutiques, sapatilhas raras e peças de streetwear de culto da Stadium Goods. A ideia é que as marcas parceiras do unicórnio, assim como as marcas próprias do grupo, disponibilizem globalmente edições limitadas e exclusivas “Beat”. O projeto faz parte da estratégia “Only on Farfetch” [só na Farfetch], apresentando coleções exclusivas e permitindo aos clientes da plataforma, via app, o acesso a produtos, marcas, serviços e a uma comunidade dos melhores curadores do mundo através da sua rede de boutiques que não pode ser encontrada em nenhum outro lugar na moda de luxo.

“Os nossos clientes de luxo querem acesso à moda mais relevante e mais desejada do mundo. A juntar a isso, muitas marcas de luxo estão a desenvolver as suas estratégias e esperamos uma mudança ainda maior no setor, deixando os ciclos tradicionais de criação e lançamento de coleções para um modelo de ‘drop’, como o ‘Beat’”, disse Stephanie Phair, Chief Customer Officer da Farfetch, citada em comunicado.

Os lançamentos semanais serão feitos, ao mesmo tempo, do Japão à China, passando pela Rússia, Médio Oriente, Brasil e Estados Unidos, todos eles mercados da Farfetch. O projeto “Beat Collective será liderado por Holli Rogers, Chief Brand Officer da Farfetch e o responsável por “selecionar os melhores produtos” em conjunto com um “grupo mundial de ‘opinion-makers’ da indústria da moda”.

Holli Rogers, Chief Brand Officer da Farfetch, explica que a ideia é “criar e lançar peças raras e únicas, de edição limitada, altamente desejadas e colecionáveis.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Farfetch aposta em novo nicho: coleções semanais exclusivas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião