China: ativo total de seguro Vida atinge 2,2 biliões de euros

  • ECO Seguros
  • 4 Março 2020

Enquanto o volume de apólices no conjunto do mercado cresce mais de 70% ao ano, o regulador chinês aponta "situações de risco complexas" no sistema.

O valor bruto de prémios de seguro cresceu 12,2% em variação homóloga, alcançando 4,3 biliões de yuan (cerca de 557 mil milhões de euros) no quarto trimestre de 2019. O montante de indemnizações e benefícios pagos no mesmo período somou 1,3 biliões yuan, evidenciando acréscimo de 4,9% face ao último trimestre de 2018, indica informação da China Banking and Insurance Regulatory Commission (CBIRC no acrónimo em inglês).

No discurso de abertura da conferência nacional de regulamentação do setor, em 11 de fevereiro, Guo Shuqing, presidente da CBIRC, afirmava: “Atualmente, o setor bancário e o de seguros mantêm-se estáveis e os principais indicadores estão dentro de parâmetros razoáveis. Contudo, os setores da banca e dos seguros e os reguladores ainda enfrentam situações de risco complexas, bem como muitas incertezas e instabilidades, que devem ser cuidadosamente tratadas”, ressalvou.

De acordo com Shuqing, 19 novas orientações destinadas a aprofundar as reformas institucionais e a melhoria de áreas chave do sistema, bem como o governance das empresas foram introduzidas no último ano. Junto com estas medidas, as autoridades aprovaram 51 candidaturas de bancos e seguradoras estrangeiras que vão estabelecer-se na China, detalhou.

No final do trimestre analisado, o ativo total das companhias de seguro a operar na China somava 20,6 biliões de yuan (cerca de 2,6 mil milhões de euros ao câmbio corrente), evidenciando um incremento de 12,2% desde o início do ano. Do conjunto, os seguros Vida correspondiam a 17 biliões de yuan (2,2 biliões de euros), tendo crescido 16% ao longo de 2019. Por seu lado, o ativo em património e danos ascendia a 2,3 biliões de yuan, regredindo 2,3% face a 2018.

No final de 2019, as resseguradoras na China reuniam 426,1 mil milhões de yuan em ativos (cerda de 55,2 mil milhões de euros), 17% mais face ao ano anterior. Já o balanço dos fundos de investimento das companhias seguradoras ascendia a 18 biliões de yuan, evidenciando acréscimo de 9,5% no conjunto de 2019.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

China: ativo total de seguro Vida atinge 2,2 biliões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião