Madrid encerra todas as escolas depois de duplicação de contágios de coronavírus

  • Lusa
  • 9 Março 2020

As autoridades da região espanhola de Madrid decretaram o encerramento, a partir de quarta-feira e durante 15 dias, de todas as creches, escolas e universidades.

As autoridades da região espanhola de Madrid decretaram esta segunda-feira o encerramento, a partir de quarta-feira e durante 15 dias, de todas as creches, escolas e universidades, depois do número de contágios pelo novo coronavírus ter duplicado naquela comunidade.

A medida surge numa altura em que esta região é a mais afetada em Espanha, contabilizando hoje 578 casos de coronavírus, metade dos contágios totais diagnosticados em território espanhol. Na Comunidade de Madrid foram registadas, até à data, 17 mortes causadas pelo novo coronavírus. Em termos globais, Espanha contabiliza, até ao momento, 1.204 casos diagnosticados e 28 mortos.

A decisão, anunciada após um conselho de governo extraordinário convocado pela presidente da região, Isabel Díaz Ayuso, vai afetar cerca de 1,2 milhões de alunos, sem contabilizar os estudantes universitários, segundo a imprensa espanhola.

Esta medida junta-se ao encerramento de 213 centros de dia para idosos que já tinha sido decretado naquela zona, uma vez que as autoridades espanholas consideraram que existia “um risco iminente e extraordinário para a saúde pública”. No domingo, foi também anunciada uma restrição das visitas aos lares de idosos naquela zona, que ficam reduzidas a situações “estritamente necessárias”.

A epidemia de Covid-19 foi detetada pela primeira vez em dezembro na China e desde então foram infetadas mais de 110 mil pessoas, mas a maioria já recuperou. A doença provocou até ao momento cerca de 3.800 mortos em todo o mundo. Nos últimos dias, Itália tornou-se o caso mais grave fora da China, com 463 mortos e mais de 7.900 contaminados, estando neste momento cerca de 16 milhões de pessoas em quarentena no norte do país.

Em Portugal há registo, até ao momento, de 39 casos confirmados de infeção, segundo informações transmitidas esta tarde durante uma conferência de imprensa conjunta da diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, e do secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Madrid encerra todas as escolas depois de duplicação de contágios de coronavírus

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião