Universidades de Lisboa e Coimbra suspendem todas as aulas presenciais

  • Lusa e ECO
  • 9 Março 2020

As aulas presenciais estão suspensas por um período de duas semanas tanta na Universidade de Lisboa como na Universidade de Coimbra.

As universidades de Lisboa e Coimbra decidiram suspender todas as aulas presenciais com efeitos imediatos e por um período de duas semanas, anunciaram as instituições de ensino superior em comunicado.

A medida insere-se num conjunto de medidas preventivas anunciadas pelas universidades no âmbito dos planos de contingência no combate ao surto de Covid-19, isto apesar de ambas as universidades não terem qualquer caso confirmado do vírus.

Entre as medidas avançadas estão as cantinas a funcionar em regime de take-away, estão canceladas todas as deslocações profissionais, os eventos desportivos nas instalações universitárias também e são suspensos, assim como as salas de estudo e as idas às bibliotecas.

Em Portugal há 39 pessoas com Covid-19, a maioria na região Norte.

A epidemia de Covid-19 foi detetada em dezembro, na China, e já provocou mais de quatro mil mortos. Cerca de 114 mil pessoas foram infetadas em mais de uma centena de países, mas mais de 62 mil já recuperaram.

A Itália tornou-se no país mais afetado fora da China, com 463 mortos e mais de 9.172 contaminados, por isso, o Governo italiano decidiu estender a quarentena a todo país, sendo que até agora estava confinada ao norte.

O novo coronavírus é uma família de vírus que pode provocar infeções respiratórias, como pneumonia.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Universidades de Lisboa e Coimbra suspendem todas as aulas presenciais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião