Unbabel é uma das empresas mais inovadoras do mundo. Time Out Market em destaque

Revista Fast Company reuniu referências na lista das "empresas mais inovadoras do mundo". Unbabel foi distinguida pela sua plataforma de tradução com inteligência artificial.

A startup Unbabel, fundada por portugueses, é uma das mais inovadoras do mundo, segundo o ranking da revista Fast Company. A publicação destaca o trabalho que a startup tem desenvolvido através da sua plataforma de tradução que usa inteligência artificial, e coloca-a em terceiro lugar na categoria “enterprise”.

A revista destaca o papel da startup “por combinar a velocidade da tradução mecânica com a autenticidade de um falante nativo”, sublinhando a troca de um milhão de mensagens trocadas por clientes por mês.

“O ano passado foi completamente transformador para o negócio, com grandes avanços na tradução automática, adoção de produto e adoção por grandes clientes”, explica Vasco Pedro, CEO da Unbabel, citado em comunicado. “Estar entre os premiados de 2020 representa um forte reconhecimento dessas conquistas e a validação da nossa visão abrangente: disponibilizar o apoio centrado no cliente para todos os clientes em qualquer idioma”.

O ranking da Fast Company distingue as empresas que causam impacto na indústria e na cultura e, este ano, agrupa 434 de 39 países em 37 categorias, tais como educação, gaming, espaço, transportes, espaços de trabalho, viagens e desporto, entre outras.

Mercado lisboeta em destaque

Outra das empresas mais inovadoras do mundo na área de media é o grupo Time Out, distinguido pelo trabalho desenvolvido no âmbito dos mercados de alimentação que são uma extensão das revistas em papel. “Depois do lançamento bem-sucedido do Time Out Market Lisboa, em 2014 (e que atraiu perto de quatro milhões de visitantes em 2018), a empresa rapidamente expandiu o conceito em 2019, abrindo mercados em Miami, Nova Iorque, Boston, Chicago e Montreal”, justifica a revista.

“Num momento de crescente volatilidade global, a lista deste ano demonstra a resiliência e o otimismo das empresas em todo o mundo. Estas empresas estão a utilizar a criatividade para resolver os desafios não só das suas indústrias e mais além”, explica Amy Farley, editora da Fast Company.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Unbabel é uma das empresas mais inovadoras do mundo. Time Out Market em destaque

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião