Biden mais perto da nomeação após vitória em fase decisiva das primárias democratas nos EUA

  • Lusa
  • 11 Março 2020

A vitória esta terça-feira de Biden nas primárias democratas no estado de Michigan terá aberto o caminho para a nomeação e, ao mesmo tempo, "afundado" as aspirações presidenciais de Bernie Sanders.

O ex-vice-Presidente Joe Biden ganhou as primárias democratas no estado de Michigan, uma vitória que é vista pelos analistas como um passo decisivo para garantir a nomeação do partido como candidato à presidência dos Estados Unidos.

A vitória esta terça-feira de Biden nas primárias democratas no estado de Michigan, com grande peso no número de delegados (125), terá aberto o caminho para a nomeação e, ao mesmo tempo, “afundado” as aspirações presidenciais do senador de esquerda Bernie Sanders, que não conseguiu repetir o triunfo de há quatro anos, quando disputava o lugar com Hillary Clinton.

A derrota em Michigan soma-se aos desaires no Missouri e Mississippi e Idaho, também na terça-feira, faltando apurar os resultados em outros dois estados, menos importantes na luta pelos delegados, Dakota do Norte e Washington.

De acordo com a agência de notícias Associated Press, Biden reuniu pelo menos 150 novos delegados: 51 em Michigan, 40 em Missouri, 29 em Mississippi, cinco em Dakota do Norte, 17 em Washington e oito em Idaho na terça-feira.

Sanders obteve 88: 35 em Michigan, 23 em Missouri, duas no Mississippi, seis em Idaho, cinco em Dakota do Norte e 17 em Washington.

Embora seis estados tenham votado, Michigan – com os seus 125 delegados – recebeu a maior atenção.

A Priorities USA, a maior organização de angariação de fundos para os democratas em todo o país, anunciou que vai colocar a sua ‘máquina’ ao serviço de Biden, considerando que “a matemática agora está clara” e que as primárias estão definidas.

Biden garantiu 53% dos votos contra 38% de Sanders, um resultado considerado dentro do Partido Democrata devastador para as aspirações do senador de Vermont, que nos últimos dias cancelara eventos de campanha em outros estados para se concentrar exclusivamente em Michigan.

Além de Michigan, o ex-vice-presidente de Barack Obama também venceu nesta terça-feira no Missouri com 60% e no Mississippi com 81%.

Joe Biden já tinha assegurado com uma confortável vantagem de delegados sobre Bernie Sanders após a “super terça-feira”, quando os democratas votaram em 14 estados e um território, e tem somado apoios nesta fase crucial das primárias.

Cory Booker juntou-se na segunda-feira a outros antigos candidatos que se têm colocado ao lado do ex-vice-Presidente de Barack Obama: Pete Buttigieg, Amy Klobuchar, Beto O’Rourke, Mike Bloomberg e Kamala Harris.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Biden mais perto da nomeação após vitória em fase decisiva das primárias democratas nos EUA

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião