De quarentena? Visite palácios e museus sem sair de casa

Não precisa de sair para ver arte e cultura: a aplicação Google Arts & Culture permite-lhe fazer visitas guiadas virtuais a centenas de museus, em Portugal e um pouco por todo o mundo.

As medidas de contingência contra a propagação do coronavírus estão a obrigar milhares de portugueses a ficar de quarentena. Nesta fase, as visitas interativas a museus podem ser uma boa forma de se manter ocupado e até de visitar locais – ainda que virtualmente – aos quais nunca foi.

Desde 2015, a biblioteca interativa Google Arts & Culture integra 57 palácios e museus portugueses classificados como as “Maravilhas de Portugal”. O Mosteiro dos Jerónimos, Mosteiro da Batalha, Mosteiro de Alcobaça, Palácio da Pena, Vila de Óbidos ou o Castelo de Guimarães são alguns dos locais que podem ser visitados, apenas à distância de um clique.

No site Portugal em 360º também pode explorar o país sem sair do sofá, ver de perto locais classificados como Património da Humanidade e até entrar dentro de igrejas em várias cidades e vilas portuguesas. No site oficial do Governo dos Açores também pode visitar o Museu da Graciosa, Museu Regional de Angra do Heroísmo, Museu da Horta/Casa Manuel de Arriaga, Museu Carlos Machado e o Museu do Pico.

Visita virtual ao Palácio da Bolsa, Porto.Portugal em 360º

A coleção Google dá-lhe ainda a possibilidade de explorar mais de 500 museus e galerias um pouco por todo o mundo, como é o caso do Museu Vang Gogh, em Amesterdão, do British Museum, em Londres, ou o Guggenheim, em Nova Iorque.

Conheça alguns dos museus e palácios com visitas virtuais:

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

De quarentena? Visite palácios e museus sem sair de casa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião