Continental fecha no dia 22. Em Famalicão, 3.400 trabalhadores vão para casa

  • ECO
  • 19 Março 2020

Para assegurar os pagamentos aos trabalhadores, vão ser acionados mecanismos como os créditos de férias de anos anteriores.

A Continental decidiu suspender a laboração a partir de dia 22 deste mês, pelo menos durante duas semanas, devido à pandemia do novo coronavírus, avança o Jornal de Negócios (acesso livre). Os cerca de 3.400 trabalhadores do grupo em Portugal, grande parte em Famalicão, irão assim para casa durante pelo menos este período.

A decisão já foi comunicada à comissão de trabalhadores, que mostrou “recetividade e compreensão”, adiantou a empresa à publicação. A maioria dos trabalhadores da multinacional alemã em Portugal estão ao serviço de empresas do grupo instaladas em Famalicão.

Perante esta situação, de forma a assegurar os pagamentos para os trabalhadores que terão de ficar em casa, vão ser acionados mecanismos como os créditos de férias de anos anteriores, débitos de horas extraordinárias existentes, majoração de férias do ano em curso e férias de 2020.

Esta suspensão não vai invalidar a ampliação da fábrica de pneus da Continental em Lousado para o próximo ano. Um investimento de 100 milhões de euros, que já foi anunciado o ano passado e prevê a criação de mais 100 postos de trabalho. Fonte oficial da Continental, explicou ao ECO que “o recrutamento já arrancou e vamos continuar a recrutar depois da crise passar”. “Esta pandemia, à partida, não vai atrasar prazos neste processo de expansão e estamos confiantes que vamos conseguir recuperar”, refere.

Segundo a Continental, o objetivo é que “os trabalhadores estejam preparados, que recebam toda a informação teórico-prática para quando o projeto arrancar, em 2021, estarem operacionais e preparados para operarem com novo equipamento”, refere fonte da Continental.

(Notícia atualizada às 15h22 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Continental fecha no dia 22. Em Famalicão, 3.400 trabalhadores vão para casa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião