Corrida aos supermercados online Continente e Auchan congestiona acessos

  • Lusa
  • 19 Março 2020

A corrida aos supermercados online Continente e Auchan tem provocado congestionamento no acesso às lojas virtuais e atrasos na entrega das compras.

A corrida aos supermercados online Continente e Auchan tem provocado congestionamento no acesso às lojas virtuais e atrasos na entrega das compras, com as empresas a fazer todos os esforços para responder ao aumento da procura.

De acordo com um cliente da cadeia de supermercados do grupo Sonae, compras efetuadas esta quinta-feira, 19 de março, na loja online do Continente têm data de entrega para 25 de abril.

Já no site da Auchan, vários clientes têm apontado dificuldades em fazer encomendas, já que ficam em lista de espera ‘online’ durante horas.

Só a título de exemplo, a Lusa tentou entrar na loja online da Auchan às 10:30 e até ao momento (pelas 16:00) encontra-se em fila de espera para ser redirecionado para o ‘site’.

Ambas as empresas reconhecem que houve um aumento dos acessos às lojas ‘online’, devido às medidas de combate à propagação do novo coronavírus, e estão a fazer o possível para dar resposta aos consumidores.

Face ao elevado número de acessos ao website do Continente, tem-se verificado alguma indisponibilidade e dificuldade de acesso temporário“, disse à Lusa o porta-voz da Sonae MC. “Estamos a envidar todos os esforços para repor o normal funcionamento do site”, adiantou a mesma fonte, que avançou que o acesso ‘online’ do Continente “mais do que quadruplicou nas últimas semanas”.

A Sonae MC refere que, “até ao momento, o Continente tem realizado todos os esforços para conseguir dar resposta a este aumento da procura”, salientando que dado o elevado volume de tráfego registado no ‘site’, os consumidores podem também recorrer à ‘app’ Continente [aplicação do Continente]. “A Sonae MC apela à melhor compreensão por todos os colaboradores que trabalham, todos os dias, comprometidos em manter a sua atividade ao serviço dos portugueses”, sublinhou.

Neste momento, a nossa grande prioridade é termos pessoas a preparar as encomendas. Algo que, nesta fase, com pessoas em casa e uma óbvia dificuldade de recrutamento, é um grande desafio”, afirmou, por sua vez, fonte oficial da Auchan.

“No que diz respeito ao nosso website, estamos a registar um número muito acima do normal de encomendas ‘online’. O tráfego extraordinário que o nosso website tem recebido nos últimos dias tem sobrecarregado a capacidade de resposta da infraestrutura”, admitiu a mesma fonte. Perante isso, “estamos a fazer todos os esforços possíveis para aumentar a capacidade de resposta do ‘site’, de forma a reduzir o tempo de espera e aumentar o desempenho” do mesmo para os utilizadores.

Criámos a fila de espera porque queremos evitar o colapso do ‘site’, uma vez que temos 70 mil pessoas a tentar aceder ao ‘site’, em simultâneo“, algo que “nenhum ‘site’ normal aguentaria tal, em situações normais”, explicou fonte oficial da Auchan. “Estamos a aceitar todas as encomendas que conseguimos entregar, garantindo um serviço de qualidade”, concluiu.

Ainda no âmbito das recomendações das entidades de saúde para a mitigação do Covid-19, o Continente implementou alterações temporárias ao serviço de entregas, como a exclusão de opções de pagamento no ato de entrega. Ou seja, o pagamento das compras pode ser feito por via do cartão de crédito, MB Way ou PayPal.

“Relembramos que com a opção cartão de crédito, MB Way ou PayPal, na colocação da encomenda será reservado o seu valor total, acrescido de 3%, para possíveis diferenças de valor motivadas pela variações de peso nos frescos, ou substituição de produtos indisponíveis. O seu cartão de crédito só será debitado pelo valor exato da fatura após receber a sua encomenda”, refere o Continente numa mensagem aos clientes.

As entregas ao domicílio são efetuadas à porta do cliente, não havendo entrada dos funcionários no local.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Corrida aos supermercados online Continente e Auchan congestiona acessos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião