Continental em Vila Real reduz força de trabalho para cerca de um terço por causa do vírus

A unidade industrial da Continental, em Vila Real, vai reduzir para cerca de um terço o número de colaboradores, a partir de segunda-feira. Capacidade de produção encolhe para 60%.

Depois de a Continental Mabor em Famalicão ter decidido suspender a produção, agora é a unidade industrial da Continental, em Vila Real, que vai reduzir a força de trabalho para cerca de um terço. A medida, que surge como resposta à pandemia, entra em vigor a partir da próxima segunda-feira por um período entre quinze dias a um mês, diz o diretor geral da Continental Advanced Antenna Portugal, Miguel Pinto, ao ECO.

“É uma medida temporária e integrada no plano de contingência da empresa. Vamos reduzir para 60% a nossa capacidade e estarão a trabalhar apenas um terço dos funcionários, como forma de minimizar o impacto e ao mesmo tempo garantir que a produção não pára. Temos que manter asseguradas as necessidades mínimas dos nossos clientes, porque existem fábricas que continuam a operar fora da Europa e nós temos que continuar a fornecer”, explica Miguel Pinto.

A Continental Advanced Antenna Portugal, que produz componentes para automóveis, é uma das maiores empregadoras privadas no distrito de Vila Real. Ao todo, a empresa conta com cerca de 570 funcionários.

Face à situação atual, Miguel Pinto, refere que neste momento a empresa já mandou alguns trabalhadores para casa em regime de teletrabalho e que vão enviar mais alguns de forma a evitar a propagação do vírus que já infetou mais de mil pessoas, em Portugal.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Continental em Vila Real reduz força de trabalho para cerca de um terço por causa do vírus

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião