Mota-Engil doa 17 mil fardas protetoras a profissionais de saúde

Em plena pandemia do coronavírus, a construtora Mota-Engil anunciou um donativo de 17 mil batas de proteção individual aos profissionais de saúde do Hospital de São João e do Hospital de Lisboa Norte.

A Mota-Engil doou 17 mil fardas protetoras para serem usadas por profissionais de saúde do Hospital de São João e do Hospital de Lisboa Norte. Face à pandemia do coronavírus, a construtora junta-se assim à onda de solidariedade na qual outras empresas também embarcaram nos últimos dias.

“A Mota-Engil SGPS confirma que entregou na Direção de Aprovisionamentos do Hospital S. João, cerca de 17 mil fardas protetoras para apoio a este combate que o país atravessa”, explicou a empresa, num comunicado em que acrescenta que está prevista a disponibilização destes equipamentos “pelos profissionais do Hospital de São João, no Porto, como também pelo Centro Hospital de Lisboa Norte (CHULN)”.

Para além desta doação, a construtora implementou uma série de medidas de proteção para fazer face ao surto de Covid-19: definiu áreas de isolamento e o procedimento a aplicar em caso de contágio e suspendeu todas as viagens entre países onde a Mota-Engil opera de forma a reforçar a prevenção ao contágio dos nossos colaboradores, suas famílias e comunidade envolventes.

Este donativo acontece numa altura em que existem 2.060 infetados pelo novo coronavírus em Portugal. Destes, 201 estão em internamento hospitalar e 47 estão em unidades de cuidados intensivos. Há ainda um total de 14 pessoas recuperadas e de 23 mortes provocadas pela doença Covid-19.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mota-Engil doa 17 mil fardas protetoras a profissionais de saúde

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião