Revista de imprensa internacional

  • ECO
  • 24 Março 2020

O surto de coronavírus tem levado a uma corrida a barras e moedas de ouro e prata, mas também tem mexido com outros setores, como a banca. Os aeroportos também querem ser ajudados.

Com o vírus a contagiar os mercados, muitos investidores procuram refúgio no ouro, levando a um crescimento expressivo por barras e moedas de tanto neste metal precioso como em prata. Na banca, o Santander decidiu criar um fundo solidário e, para isso, vai cancelar o dividendo intercalar e cortar nos salários dos membros da administração. No desporto, há cada vez mais países a pressionarem para um adiamento dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

Financial Times

Coronavírus leva a corrida a ouro em barra

Investidores de retalho na Europa e nos EUA têm procurado barras e moedas de ouro e prata nas últimas duas semanas para protegerem o seu dinheiro do colapso nos mercados causado pela pandemia de coronavírus. A corrida ao ouro levou o preço do metal precioso para máximos de sete anos — 1.700 dólares por onça — a 9 de março e os traders alertam para escassez global de ouro em barra. Há mesmo quem compare a corrida ao ouro com o açambarcamento de papel higiénico. Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Expansión

Santander cancela dividendo intercalar. Botín reduz salário em 50%

Santander vai dar menos dinheiro aos acionistas, mas também aos seus gestores. O banco espanhol vai cancelar a remuneração intercalar que deveria entregar aos investidores, isto ao mesmo tempo que os salários da administração vão ser revistos em baixa. Parte da poupança servirá para criar um fundo solidário para ajudar a combater a pandemia. Leia a notícia completa no Expansión (acesso livre, conteúdo em espanhol)

Financial Times

Aeroportos também querem ser ajudados por Bruxelas

Os aeroportos europeus estimam perdas de 14 mil milhões de euros em receitas devido ao surto de coronavírus e consequentes restrições nas viagens e, por isso, defendem que também devem ser adicionados ao fundo que a Comissão Europeia criou para ajudar as companhias aéreas. Numa carta enviada a Bruxelas, a ACI Europe, órgão do setor aeroportuário, pediu para que seja dado “um apoio abrangente, inclusivo e não discriminatório a todo o ecossistema da aviação”. Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Bloomberg

Mercado de trabalho europeu melhor preparado que o norte-americano

O modelo de mercado de trabalho da Europa poderá ser mais resistente ao impacto massivo da pandemia de coronavírus nos empregos, em comparação com os Estados Unidos. A opinião é dos economistas que apontam para regras mais rígidas de despedimentos e para as políticas de incentivo à retenção de trabalhadores. Apesar de esta rigidez ser vista como um entrave ao crescimento económico, a crise pandémica está a revelar que poderá ter virtudes. Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Reuters

Estados Unidos e Nova Zelândia unem-se a favor do adiamento dos Jogos Olímpicos

O Comité Olímpico e Paralímpico dos Estados Unidos (USOPC) defendeu um adiamento dos Jogos Olímpicos deste ano devido à pandemia, assim como a Nova Zelândia. O USOPC diz “ser cada vez mais claro que a opção do adiamento é a mais adequada”, acrescentando que dos 1.780 atletas norte-americanos que responderam a uma sondagem, 68% afirmaram que a igualdade desportiva não pode ser garantida se o evento decorrer nas datas previstas. Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião