Beta-i lança curso e podcast para incentivar inovação em empresas

  • ECO
  • 25 Março 2020

Curso online gratuito arranca a 22 de abril. Programa em direto no youtube estreia a 26 de março, e vai possibilitar perguntas e comentários do público em direto.

A Beta-i vai lançar um curso gratuito online, em colaboração com instituições europeias, para inspirar as empresas a fazer face aos desafios decorrentes do coronavírus através da inovação colaborativa. A ideia, anunciou a consultora em comunicado, é garantir a sobrevivência das empresas num contexto económico em que “se anteveem grandes dificuldades para negócios em diversos setores”.

O curso “Co-InnovationJourney for Startups andCorporates” é uma formação online e resultado de meses de trabalho presencial e remoto, levado a cabo por um consórcio europeu que inclui a Beta-i, em representação de Portugal, e universidades, empresas e instituições de mais seis países (Alemanha, Áustria, Bélgica, Finlândia e Polónia). “Ao longo de seis semanas de formação, o curso aborda temáticas específicas e ensina a empresas e startups os fundamentos e as modalidades de inovação colaborativa, bem como exercita o desenho inicial desta colaboração através do ‘Co-Innovation Builder’, um mapa que organiza o arranque de projetos de inovação aberta entre as duas entidades”, sublinha a Beta-i.

O arranque do curso está marcado para 22 de abril e “é direcionado a gestores e colaboradores de empresas de qualquer setor, e a empreendedores interessados em compreender melhor o funcionamento de projetos de inovação colaborativa com empresas — que muitas vezes não envolvem investimento direto ou venture capital”, explica ainda a consultora. Com duração de seis horas por semana, o currículo é composto por palestras, artigos informativos, questionários, discussões e atividades práticas para reunir os diferentes atores.

“Tão importante como conter este vírus, é impulsionar a capacidade das empresas se reinventarem de forma inovadora e colaborativa, sobretudo diante do impacto que esta pandemia terá para uma sociedade mais sustentável. Esta crise tem, assim, potencial para contribuir para uma mudança de paradigma — é um momento para reinventar a forma como trabalhamos, para modelos mais flexíveis e remotos, para acelerar a transição digital na maioria dos setores económicos, para reforçar a diversificação económica e para se apostar fortemente em novas estratégias de colaboração que garantam o crescimento e sustentabilidade dos negócios”, detalha Pedro Rocha Vieira, CEO e cofundador da Beta-i.

Além do curso online, a Beta-i lança também o Beta-Cast, disponível no canal de Youtube da Beta-i que, semanalmente, irá explorar semanalmente um tema prático que possa ser aplicado aos desafios atuais das empresas e startups, dando à audiência a possibilidade de participar, ao vivo, no debate, com comentários e perguntas.

“Faz parte da nossa estratégia enquanto consultora, próxima do tecido empresarial e empreendedor português e internacional, ter um papel ativo neste contexto de crise económica. Como tal, esperamos que estes dois conteúdos possam permitir às empresas e startups encontrar um rumo que os prepare para este período de quarentena e para a recuperação económica. É a forma como atuamos hoje que irá determinar a sobrevivência económica da maioria de nós nos próximos anos”, conclui Pedro Rocha Vieira.

O primeiro episódio do Beta-Cast será transmitido ao vivo nesta quinta-feira, a 26 de março, a partir das 19h, para discutir o tema “Innovation in Times of Crisis”.

O ECO recusou os subsídios do Estado. Contribua e apoie o jornalismo económico independente

O ECO decidiu rejeitar o apoio público do Estado aos media, porque discorda do modelo de subsidiação seguido, mesmo tendo em conta que servirá para pagar antecipadamente publicidade do Estado. Pelo modelo, e não pelo valor em causa, cerca de 19 mil euros. O ECO propôs outros caminhos, nunca aceitou o modelo proposto e rejeitou-o formalmente no dia seguinte à publicação do diploma que formalizou o apoio em Diário da República. Quando um Governo financia um jornal, é a independência jornalística que fica ameaçada.

Admitimos o apoio do Estado aos media em situações excecionais como a que vivemos, mas com modelos de incentivo que transfiram para o mercado, para os leitores e para os investidores comerciais ou de capital a decisão sobre que meios devem ser apoiados. A escolha seria deles, em função das suas preferências.

A nossa decisão é de princípio. Estamos apenas a ser coerentes com o nosso Manifesto Editorial, e com os nossos leitores. Somos jornalistas e continuaremos a fazer o nosso trabalho, de forma independente, a escrutinar o governo, este ou outro qualquer, e os poderes políticos e económicos. A questionar todos os dias, e nestes dias mais do que nunca, a ação governativa e a ação da oposição, as decisões de empresas e de sindicatos, o plano de recuperação da economia ou os atrasos nos pagamentos do lay-off ou das linhas de crédito, porque as perguntas nunca foram tão importantes como são agora. Porque vamos viver uma recessão sem precedentes, com consequências económicas e sociais profundas, porque os períodos de emergência são terreno fértil para abusos de quem tem o poder.

Queremos, por isso, depender apenas de si, caro leitor. E é por isso que o desafio a contribuir. Já sabe que o ECO não aceita subsídios públicos, mas não estamos imunes a uma situação de crise que se reflete na nossa receita. Por isso, o seu contributo é mais relevante neste momento.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Beta-i lança curso e podcast para incentivar inovação em empresas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião