Startup ubbu quer ajudar escolas a implementar ensino à distância

Ferramenta criada pela startup passa a ser disponibilizada gratuitamente e pode ser usada remotamente, em casa.

ubbu quer facilitar a vida às escolas que tenham de fechar devido ao coronavírus.ubbu

A ubbu quer ajudar as escolas a garantirem atividades à distância e, na sequência das notícias sobre o coronavírus, disponibiliza gratuitamente a plataforma de ensino de programação às crianças cujas escolas foram encerradas devido à pandemia.

A plataforma digital ensina programação nas escolas a crianças com idades compreendidas entre os seis e os 12 anos. À semelhança do que fizeram outras plataformas mundiais de software, a startup “une-se aos esforços para minimizar o impacto na educação e na sociedade”, informa a empresa em comunicado.

A ubbu passa a estar acessível remota e gratuitamente a escolas nacionais do 1.º ao 6.º ano de escolaridade e que se vejam obrigadas a encerrar devido ao Covid-19.

“Preparámos esta solução para que os alunos que já estavam a seguir o programa não saiam prejudicadas e para que outros que tenham sido forçados a ficar em casa possam ocupar o seu tempo de forma produtiva. As escolas encerradas em Felgueiras já estão a receber apoio em regime remoto e foram o exemplo impulsionador desta ação”, diz João Magalhães, CEO da ubbu, citado em comunicado.

Para se inscreverem, as escolas interessadas devem preencher este formulário. O acesso gratuito estende-se até junho. Esta data pode ser adiada caso a conjuntura se agrave, detalha a ubbu.

Lançada pela Academia de código em janeiro do ano passado, a ubbu está presente em metade dos agrupamentos escolares de Portugal continental e tem acordos estabelecidos para ensinar programação a mais de um milhão de crianças em todo o mundo. Em Portugal já ensina programação a mais de 60 mil crianças.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Startup ubbu quer ajudar escolas a implementar ensino à distância

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião