Cascais compra material de proteção contra o vírus a empresa de brindes

  • ECO
  • 27 Março 2020

O material foi comprado a uma empresa de brindes publicitários, serigrafia, bordados, têxteis e fardamentos. Firma diz que material tem "certificações europeias".

A Câmara Municipal de Cascais fez, nos últimos dias, ajustes diretos de 2,7 milhões de euros para comprar material de proteção contra o novo coronavírus, mas essa aquisição foi feita à Enerre – Produções e Representações, uma empresa especializada em brindes publicitários, diz o Público (acesso pago). A autarquia justifica estes contratos com o facto de escolher empresa com as “melhores propostas e que cumprem o solicitado”. A firma sublinha que o material tem “certificações europeias”.

Foram, ao todo, três contratos: cerca de 445 mil, 1,45 milhões e 812 mil euros. Mas nos documentos não aparecem referidas as quantidades, tipologias e destinatários do material, apenas que foram comprados máscaras e luvas, fatos, óculos, termómetros e gel desinfetante… tudo de proteção. Questionada pelo Público, a autarquia explica que este material se destina a “hospitais do concelho, instituições particulares de solidariedade social, Câmara de Cascais, bombeiros, polícias, etc.”.

Quanto à escolha desta empresa, a Câmara refere que “recorre às empresas que fazem as melhores propostas e cumprem o solicitado” e que, neste caso, a Enerre tem como clientes como o Ministério da Defesa, hospitais privados e públicos. A Enerre, por sua vez, diz que todos os seus materiais têm “certificações europeias” e que, apesar de não ser especializada em produtos farmacêuticos, trabalha na área das importações e conta com uma equipa em Xangai que acompanha a produção nas fábricas chinesas do material necessário.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Cascais compra material de proteção contra o vírus a empresa de brindes

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião