Philips duplica produção de ventiladores nas próximas semanas

  • Lusa
  • 30 Março 2020

"Estamos a trabalhar incansavelmente para duplicar a capacidade de produção de ventiladores nas próximas 8 semanas e quadruplicá-la no terceiro trimestre", refere presidente executivo da Philips.

A Philips anunciou esta segunda-feira que vai duplicar a sua capacidade de produção de ventiladores e consumíveis de uso hospitalar nas próximas oito semanas e tem por objetivo quadruplicar a capacidade no terceiro trimestre deste ano.

“Estamos a trabalhar incansavelmente para duplicar a nossa capacidade de produção de ventiladores nas próximas oito semanas e quadruplicá-la no terceiro trimestre”, afirmou Frans van Houten, presidente executivo da Royal Philips, citado em comunicado, em resposta ao combate à pandemia do novo coronavírus.

Além de “mobilizar a sua rede global de fornecedores, a empresa está a recrutar mais pessoas para as suas fábricas e a realocar trabalhadores para apoio imediato ao aumento da produção, tendo ainda procedido à implementação de mais linhas de produção e ao aumento do número de turnos de trabalho para cobrir 24 horas por dia e sete dias por semana”, acrescenta a Philips, no comunicado.

O aumento de produção “está direcionado para dispositivos e soluções de cuidados médicos de emergência que contribuam para o diagnóstico e tratamento de doentes com Covid-19”, que já infetou mais de 727 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram perto de 35 mil.

“Os produtos mais necessários são monitores de sinais vitais, ventiladores portáteis e consumíveis para ventilação invasiva e não invasiva, destinados a tratar patologias respiratórias”, salienta a empresa.

“A Philips disponibiliza também produtos e soluções para a resposta e recuperação de doentes com Covid-19, incluindo sistemas de diagnóstico por imagem (TAC, diagnóstico móvel, raios X e ecografia) que ajudam a diagnosticar e avaliar doenças respiratórias, e soluções de telemedicina para monitorizar doentes internados em unidades de cuidados intensivos (programa eICU) e conectar médicos e doentes a partir de casa”.

A multinacional “compromete-se a utilizar uma abordagem baseada na ética e justiça para distribuir os seus produtos e soluções, com base em dados como a classificação de risco Covid-19 por país e região”, assegura.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Philips duplica produção de ventiladores nas próximas semanas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião