Espanha bate novo recorde. Há já mais de 10 mil mortos por Covid-19 no país

Em Espanha há 110.238 casos confirmados de Covid-19, sendo que o número de pessoas vítimas da doença já ultrapassou a barreira dos 10 mil. Há quase 27 mil pessoas recuperadas.

Espanha bateu um novo recorde diário no que diz respeito ao número de mortos. Em apenas 24 horas, o país registou 950 vítimas mortais por coronavírus, com o número total de mortes a ultrapassar já os dez mil óbitos decretados pela doença, avança o El País (acesso livre, conteúdo em espanhol).

O mais recente balanço feito pelo Ministério da Saúde espanhol dá conta de 110.238 pessoas infetadas com coronavírus desde que o surto foi detetado no país. Destes 110.238 casos, mais de 54 mil já precisaram de tratamento hospitalar. Até ao momento, 26.734 pessoas já estão curadas.

O números de mortos também não pára de crescer em Espanha, aumentando pelo sexto dia consecutivo. Até esta quarta-feira foram registadas 10.003 mortes no país, o que representa um aumento de 950 vítimas mortais face ao balanço anterior.

O ministro da Saúde espanhol, Salvador Illa, vai reunir-se esta quinta-feira perante a comissão de saúde do Parlamento espanhol para anunciar mais medidas, por forma a mitigar a propagação do novo coronavírus.

No plano económico, o impacto provocado pela crise sanitária já se faz sentir em território espanhol, com o mercado de trabalho espanhol a sofrer o pior mês da sua história. O número de desempregados inscritos nos serviços públicos de emprego espanhóis aumentou em 302.265 pessoas em março, alcançando um total de 3,54 milhões, segundo divulgados também esta quinta-feira pelo ministério do Trabalho, Migrações e Segurança Social de Espanha.

Alemanha contabiliza mais de 6.000 novos casos num dia

A Alemanha, o terceiro país com mais casos da Europa e o quinto do mundo, regista 73.522 infetados com o novo coronavirus, um crescimento de 6.156 em relação ao dia anterior.

O Instituto Robert Koch (RKI), entidade responsável pela prevenção e controlo de doenças, citado pela Lusa, dá conta de 872 vítimas mortais, um aumento de 140 em relação ao balanço anterior.

A página oficial da entidade indica ainda que a Baviera, a maior região do país, onde foi descoberto o primeiro infetado de Covid-19, é agora a que regista mais casos (18.496) e maior número de vítimas mortais (268).

A Alemanha prolongou esta quarta-feira as medidas de contenção, pelo menos até 19 de abril, altura em que as escolas e jardins infantis deveriam reabrir. A chanceler Angela Merkel remeteu para essa altura uma nova avaliação da situação, realçando que a “pandemia não conhece férias”.

Os hospitais Helios Klinikum de Munique, na Baviera, e a clínica Ernst von Bergmann de Potsdam, em Brandeburgo, suspenderam o normal funcionamento devido ao alto número de pacientes e funcionários infetados. Estes dois centros não podem aceitar mais doentes nem dar alta aos que lá se encontram.

O RKI revelou esta quarta-feira que o país já realizou 918.460 testes desde o aparecimento do novo coronavírus, admitindo que o número pode ser bastante superior. Os laboratórios estão a levar a cabo mais de 50 mil testes por dia.

Segundo um balanço da AFP, já foram diagnosticados mais de 900 mil casos de infeção pelo novo coronavírus, sendo que há registo de 45.719 óbitos decretados no mundo inteiro por infeção de Covid-19.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Espanha bate novo recorde. Há já mais de 10 mil mortos por Covid-19 no país

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião