Teletrabalho “aproxima colaboradores” da PHC. E o software está a ajudar as empresas

Pegada digital e teletrabalho são ferramentas que fazem parte da PHC Software. "As empresas que estão a aguentar o impacto são aquelas que já tinham avançado antes para esse caminho digital", diz CEO.

Ricardo Parreira, CEO da PHC Software, está a gerir uma equipa de 207 colaboradores a partir de casa, uma prática já recorrente tanto para ele como para os funcionários da empresa. “Sou um CEO que já gostava de trabalhar a partir de casa”, explica.

“Nós já tínhamos tudo preparado para de um dia para o outro ir toda a gente para casa. O que não é uma realidade em muitas empresas que ainda não tinham avançado nesse sentido”, explica Ricardo Parreira. Acrescenta que já têm relatos de clientes que disseram “ainda bem que nos deram esta evolução de software e capacidade para aceder ao mesmo onde quer que a gente esteja (…) graças a esta avanço conseguimos estar a trabalhar em casa e a empresa não parou, quem não tem essa hipótese está e vai passar um mau momento”, destaca.

“As empresas que estão a aguentar melhor este impacto de trabalhar a partir de casa, manter o negócio a funcionar e manter a satisfação dos seus clientes, são aquelas que já tinham avançado antes para esse caminho digital”, conta o CEO da empresa especializada em gestão de software.

O CEO da PHC Software já estava habituado à prática de trabalho remoto, a única diferença é “estar em teletrabalho com toda a gente cá em casa”, brinca Ricardo Parreira. Mas mesmo nesta azafama vê vantagens e considera que a experiência do teletrabalho a 100% está a ser difícil, mas ao mesmo tempo muito interessante: “consigo concentrar-me bastante, almoço todos os dias com os meus filhos que era algo que eu não fazia (…) tenho estado centrado na parte positiva de tudo aquilo que está a acontecer e o que podemos aprender e como o mundo vai evoluir a partir daqui”.

“A velocidade a que nos adaptamos é o ponto-chave para sobrevivermos a esta crise”, destaca o CEO da PHC Software, que é um dos entrevistados na nova rubrica diária do ECO chamada Gestores em teletrabalho.

Para Ricardo Parreira esta pandemia tem impactos positivos relacionados com as novas formas de trabalhar/aprender e novas formas de as empresas se conectarem entre si o que normalmente demora alguns anos a evoluir e de repente tivemos que fazer essa evolução num mês”, explica. “Os hábitos sedimentam-se quando são repetidos e depois de uns meses a termos reuniões remotamente vamos estar habituados e deixar de ter tanta necessidade de reuniões presenciais”.

Com esta experiência, o CEO da PHC considera que “vamos levar para outro nível a transformação digital, a forma como as empresas se relacionam e como se conectam e com isto tudo ainda podemos contribuir para a redução de poluição no planeta”.

“As empresas que estão a aguentar melhor este impacto de trabalhar a partir de casa, manter o negócio todo a funcionar, manter a satisfação dos seus clientes são aquelas que já tinham avançado antes para esse caminho digital”.

Ricardo Parreira

CEO da PHC Software

CEO da PHC Software considera que com este regime de teletrabalho até consegue estar mais próximo de todos. “Fazemos uma reunião diária com a equipa de gestão que era algo que não acontecia todos os dias (…) uma reunião geral em português e espanhol que abrange a empresa toda para perceberem o que estamos a fazer, que caminhos estamos a seguir”, explica Ricardo Parreira.

Existem mais de 33 mil empresas a usar software PHC que corresponde a cerca de 150 mil utilizadores. Ricardo Parreira assegura que está tudo controlado e muito graças a esta pegada digital. Explica que montaram um gabinete de resposta rápida com o objetivo de resolver eventuais problemas com os parceiros de negócio. “Estamos a tratar de todos os clientes com a velocidade mais rápida possível. Sabemos que existem empresas em sérias dificuldades e o software é importantíssimo para elas”.

A multinacional portuguesa conta com 30 anos de existência e tem presença em cinco países, Portugal, Espanha, Moçambique, Angola e Peru. Para o CEO da PHC Software, é no país vizinho que estão a ser mais dificuldade a gestão, uma vez que Espanha é um dos países mais afetados pelo Covid-19. “Espanha está a passar definitivamente um mau momento, está a ser muitíssima atacada. Nós estamos em contacto direto com todos os nossos colaboradores e parceiros espanhóis diariamente e é claramente o país onde estamos a passar mais dificuldades” e que pode ser um “exemplo para Portugal”, alerta Ricardo Parreira.

Linha de crédito de 400 milhões não vai chegar para todas as empresas

Quanto à linha de crédito de 400 milhões para apoiar as empresas, Ricardo Parreira considera que “nem nós, nem o Estado sabe a dimensão que está crise pode tomar e tudo depende do tempo que isto demorar. “Existem empresas que já não têm dinheiro para pagar os vencimentos. Emprestar dinheiro não vai chegar para determinado conjunto de empresas”.

Com tanta mudança é perfeitamente normal que comecem a surgir os primeiros sintomas de depressão perante o isolamento e a falta de contacto social. O CEO da PHC Software é praticante e entusiasta de meditação e deixa um conselho: para “gerir a parte emocional de toda a empresa (…) a meditação e o exercício físico são pontos vitais para manter a sanidade mental”, conclui.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Teletrabalho “aproxima colaboradores” da PHC. E o software está a ajudar as empresas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião