Petróleo sobe quase 5% à espera de um acordo na OPEP+

Fitch diz que cotações do barril de "ouro negro" podem cair 10 dólares caso a reunião da OPEP+ para cortar a produção termine sem um acordo. Mas há otimismo entre os investidores.

Os preços do petróleo estão a subir 3% na Europa e 5% nos EUA, com os investidores otimistas em relação a um acordo no seio da OPEP+ para cortar a produção de barris.

O Brent, negociado em Londres, sobe 3,53% para 33,99 dólares, num desempenho que permite anular as perdas verificadas desde o início da semana. O mesmo acontece com o crude em Nova Iorque: apresenta uma variação semana quase nula ao seguir esta quinta-feira em alta de 4,54% para 26,23 dólares.

Petróleo recupera à espera da OPEP

As cotações da matéria-prima sofreram um correção dramática nas últimas semanas, depois de a Rússia não ter concordado com uma proposta saudita para reduzir ainda mais a produção de petróleo face ao acordo que estava em vigor, isto para responder à quebra na procura por causa da paralisação das economias.

Falhado esse acordo, a OPEP+ — que junta o cartel com os países exportadores e outros países produtores aliados como a Rússia — tenta esta quinta-feira um novo entendimento para limitar a produção de barris. Há algum otimismo entre os investidores, que antecipam um corte da produção entre 10 milhões e 15 milhões de barris por dia, depois das notícias de que os russos estariam disponíveis para reduzir a sua produção em 1,6 milhões de barris diários.

A agência Fitch adiantou que os preços do barril de petróleo podem cair 10 dólares caso não haja um acordo.

“Acho que haverá um acordo, que trará um pouco de alegria no curto prazo. Depois a atenção de todos voltará a centrar nos fundamentais [a procura e a oferta num contexto de recessão global provocada pela pandemia]. E os fundamentais são assustadores”, disse Lachlan Shaw, da National Australia Bank, citado pela Reuters.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Petróleo sobe quase 5% à espera de um acordo na OPEP+

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião