Proteção Civil está a enviar SMS de alerta. Há “especiais restrições de circulação” na Páscoa

Operadores de telecomunicações estão a enviar mensagens para os telemóveis dos seus clientes com o alerta da Proteção Civil relativamente a "especiais restrições de circulação" entre 9 e 13 de abril.

A Proteção Civil está a alertar a população para as restrições de circulação que vão decorrer durante a Páscoa, com vista à prevenção de uma maior propagação do novo coronavírus neste período. O alerta está a ser feito através de mensagens (SMS) que estão a ser enviadas pelas operadores de telecomunicações para os telemóveis dos respetivos clientes.

Nesta mensagem, a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (PROCIV) avisa para as “especiais restrições de circulação” entre 9 e 13 de abril, período em que segundo o determinado na renovação do estado de emergência na semana passada, a população portuguesa está proibida de sair do seu concelho de residência.

Essa saída apenas é admitida pelas autoridades por razões que o justifiquem como deslocações para o local de trabalho devidamente comprovadas ou para apoio a pessoas em carência ou ir ao hospital. A proibição aplica-se caso se desloquem de carro, transportes públicos ou a pé.

Este aviso da PROCIV vem reforçar as decisões das autoridades que têm agentes na rua a controlar se os cidadãos estão a cumprir a determinação do estado de emergência.

Quem precisar de se deslocar para fora do concelho de residência para ir trabalhar, deve ir munido de um documento da entidade empregadora que o comprove. É aconselhado ainda que as pessoas tenham sempre consigo o cartão de cidadão ou carta de condução.

No alerta enviado por SMS, a Proteção Civil indica ainda os seguintes endereços que devem ser consultados para ter mais indicações sobre o que está em causa nestas restrições de circulação: covid19estamoson.gov.pt/ e www.prociv.pt.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Proteção Civil está a enviar SMS de alerta. Há “especiais restrições de circulação” na Páscoa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião