Bosch retomou produção em Ovar, Aveiro e Braga. Cerca de 5.000 mil colaboradores voltam ao trabalho

A multinacional alemã que conta com três fábricas em Portugal já retomou a atividade. Os mais de cinco mil colaboradores vão voltar à produção, à exceção dos que podem trabalhar a partir de casa.

A multinacional alemã Bosch já reabriu as três fábricas localizadas em Ovar, Aveiro e Braga, avança ao ECO fonte oficial da Bosch Portugal. No total estas três unidades fabris empregam cerca de cinco mil colaboradores.

A unidade fabril de Braga que fechou portas dia 30 de março e emprega 3.500 trabalhadores voltou a abrir portas esta terça-feira. “Neste momento estamos a funcionar normalmente, ou seja, não existe rotatividade. E estamos a tomar todas as medidas recomendadas pela DGS”, explica a mesma fonte.

“Em Braga, os colaboradores que se encontram em teletrabalho vão continuar neste regime e os da produção já regressaram à empresa”, explica ao ECO, fonte oficial da Bosch.

Receio da multinacional é a falta de encomendas

A fábrica da multinacional alemã localizada em Aveiro, que emprega 1.300 colaboradores, também retomou atividade na segunda-feira, a par com a unidade fabril localizada em Ovar que conta com 800 colaboradores e já retomou a produção na semana passada, tal como a Sicor, Cordex e Exporplás que acabam de abrir portas.

“Como as empresas de Ovar estão a reabrir, a Bosch em Aveiro vai tendo material para produzir. Vamos deixar de ter o problema dos materiais e vamos ter um problema das encomendas”, explica ao ECO, Jónio Reis, manufacturing vice president na Bosch Termotecnologia, localizada em Aveiro.

O vice presidente da Bosch Termotecnologia destaca que a empresa está a ter quebras nas encomendas e vão ter que pensar em soluções”. Adianta que o lay-off ainda está em cima da mesa: “já antecipamos férias, já usámos o banco de horas, já esgotámos todas as possibilidades, por isso temos que pensar noutras alternativas para não perdermos postos de trabalho”, destaca Jónio Reis.

Jónio Reis adianta que as quebras nas vendas são principalmente em países brutalmente afetados pelo Covid-19, como Espanha, Itália e França.

A Bosch conta com estas três fabricadas e um escritório em Lisboa que emprega cerca de 380 pessoas e está a laborar em regime de teletrabalho.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Bosch retomou produção em Ovar, Aveiro e Braga. Cerca de 5.000 mil colaboradores voltam ao trabalho

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião