Quem são os economistas de elite que Costa quer que salvem a economia?

Primeiro-ministro vai ouvir vários especialistas sobre os impactos da pandemia de coronavírus. Também quer saber que ideias têm os economias de elite para relançar a economia nacional.

Portugal, como todos os outros países europeus, mergulhou numa forte crise provocada pelo Covid-19. Com o país parado, a economia vai entrar numa recessão profunda, com Mário Centeno a admitir uma quebra do PIB de mais de 20% neste segundo trimestre. O total do ano será igualmente negativo, mas o ministro das Finanças afasta uma quebra de dois dígitos.

O cenário atual, em parte já traçado por Centeno, será alvo de análise por um conjunto de especialistas que estarão esta terça-feira reunidos com o primeiro-ministro, António Costa. O chefe do Executivo vai ouvir o que têm a dizer economistas e académicos sobre a atual situação económica e financeira do país durante a manhã.

Na parte da tarde, Costa vai discutir com duas dezenas de economistas as perspetivas futuras e as medidas a tomar para relançar a economia portuguesa. Mas quem são estes especialistas de elite? O ECO apresenta-os.

Catarina Reis, Universidade Católica

Catarina Reis é licenciada em Economia pela Universidade Católica Portuguesa e doutorada em Economia pelo Massachusetts Institute of Technology (MIT). A sua área de investigação é a macroeconomia, com particular atenção ao desenho de políticas “ótimas para o Governo”. Atualmente é diretora académica do mestrado em Economia na Universidade Católica.

Francisca Guedes de Oliveira, Universidade Católica

Francisca Guedes de Oliveira é licenciada e mestre em Economia pela Universidade do Porto e doutorada em Economia — com especialização em economia pública — pela Universidade Nova de Lisboa. Atualmente, é professora auxiliar na Faculdade de Economia e Gestão (FEG) da Universidade Católica Portuguesa, no Porto, bem como diretora adjunta para os programas de mestrado da FEG. A sua área de investigação é a economia política, mas também estuda a economia pública. De notar ainda que, desde 2015, integra o conselho de administração da EDP Renováveis.

Luís Catão, ISEG

Luís Catão é, atualmente, professor associado no ISEG. É formado em Engenharia Elétrica e em Economia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, para além de ser doutorado em Economia pela Universidade de Cambridge. As suas áreas de investigação são: macroeconomia internacional e finanças, história económica e desenvolvimento económico. No seu currículo, Luís Catão conta ainda com experiência enquanto economia sénior no Fundo Monetário Internacional (FMI), bem como enquanto professor assistente na University of London, no Reino Unido.

António Afonso, ISEG

António Afonso é professor catedrático no ISEG. Licenciado, mestre e doutorado em Economia pela mesma universidade, Afonso é atualmente presidente da Unidade de Estudos sobre Complexidade e Economia (UECE), bem como coordenador do mestrado em Economia Monetária e Financeira e do doutoramento em Economia da instituição referida. Este professor também já passou pelo Banco Central Europeu (BCE), como economista principal, pela Caixa Geral de Depósitos (CGD), como economista sénior, e pela Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (ICGP).

Ricardo Paes Mamede, ISCTE

Ricardo Paes Mamede é, atualmente, professor auxiliar no ISCTE. Licenciado em Economia e mestre em Economia e Gestão de Ciência e Tecnologia pelo ISEG, Paes Mamede tirou o seu doutoramento em Economia na Universidade de Bocconi, em Itália. No ISCTE, leciona desde 1999, nas áreas da economia e integração europeia, da economia setorial e da inovação, e das políticas económicas.

Alexandra Ferreira Lopes, ISCTE

Atualmente, Alexandra Ferreira Lopes é professora associada no ISCTE. Doutorada em Economia pelo ISEG, Ferreira Lopes é autora de vários artigos científicos nas áreas de macroeconomia aberta e crescimento económico, divulgados em publicações de renome. Além disso, hoje é diretora do mestrado em Economia do ISCTE.

Miguel Ferreira, Universidade Nova SBE

Miguel Ferreira é professor catedrático na Universidade Nova SBE. Doutorado em Finanças pela Universidade de Wisconsin-Madison, tem um mestrado em Economia pela Nova SBE e uma Licenciatura em Gestão pelo ISCTE. As suas áreas de especialização são: investimentos internacionais, investidores institucionais e corporate governance.

Susana Peralta, da Universidade Nova SBE

Susana Peralta é professora assistente na Universidade Nova SBE. Doutorada em Economia pela Université Catholique de Louvain, na Bélgica, Peralta tem como áreas de investigação: a economia em Governos multi-camadas, incluindo no que diz respeito à fiscalidade e à política. Atualmente, é a diretora académica do mestrado em Economia da SBE.

Fernando Alexandre, Universidade do Minho

Fernando Alexandre é professor associado com agregação na Universidade do Minho. É licenciado e mestre em Economia pela Universidade de Coimbra e doutorado em Economia pela Universidade de Londres – Birkbeck College. Entre 2013 e 2015, exerceu as funções de Secretário de Estado Adjunto do Ministro da Administração Interna. No seu currículo, conta ainda com colaborações com o Ministério do Trabalho e Solidariedade Social, o Tribunal de Contas, a Associação Portuguesa de Seguradores e a Microsoft Portugal. As suas áreas de interesse são: a macroeconomia; a economia monetária e financeira; a economia portuguesa; a Segurança Social; e os estudos de impacto económico e social.

João Cerejeira, Universidade do Minho

João Cerejeira é atualmente professor auxiliar na Universidade do Minho. Cerejeira é doutorado em Economia pelo Instituto Universitário Europeu, em Florença, e leciona nas áreas da economia urbana, economia do trabalho e econometria aplicada.

José Caetano, Universidade de Évora

José Caetano é atualmente professor associado com agregação na Universidade de Évora. O académico é licenciado e doutorado em Economia pela mesma universidade onde hoje leciona. As suas áreas de investigação são as seguintes: especialização internacional e mercados de trabalho, bem como determinantes do investimento estrangeiro.

Miguel Rocha de Sousa, Universidade de Évora

Miguel Rocha de Sousa é atualmente professor auxiliar na Universidade de Évora. Licenciado e mestre em Economia pela Universidade Nova de Lisboa, Rocha de Sousa é também doutorado em Economia pela Universidade de Évora. As suas áreas de investigação são: economia do desenvolvimento (contratos agrícolas e modelos de crescimento); macroeconomia (euro, banca e integração europeia); economia política (liderança, capital humano e sustentabilidade ambiental); e organizações internacionais (accountability, Econo-física: depreciação).

Pedro Gil, Universidade do Porto

Pedro Gil é, atualmente, professor auxiliar na Universidade do Porto. É doutorado em Economia por essa mesma universidade e tem como principais áreas de investigação o crescimento económico endógeno e a inovação e mudanças tecnológicas. No seu CV, consta também uma licenciatura e um mestrado em Economia ambos pela Universidade do Porto. Já foi também analista na Associação Empresarial de Portugal (AEP).

Pedro Teixeira, Universidade do Porto

Pedro Teixeira é, atualmente, professor associado na Universidade do Porto. No que diz respeito à sua formação académica, é licenciado em Economia pela Universidade do Porto, mestre em Artes no Ensino Superior e Economia na Educação pelo Center for Higher Education Policy Studies, na Holanda, e doutorado em Economia pela School of Business and Economics, University of Exeter, no Reino Unido. As suas áreas de investigação são as seguintes: mudanças nos sistemas de financiamento e racionalidades no ensino superior; os efeitos da regulação de mercado, privatização e concorrência no ensino superior; o desenvolvimento e a influência da teoria do capital humano; a transição e percurso dos diplomados para o mercado de trabalho; e a economia e a religião.

Pedro Bação, Universidade de Coimbra

Atualmente, Pedro Bação é professor auxiliar na Universidade de Coimbra. Doutorado em Economia pelo Birkbeck College – Universidade de Londres e licenciado em Economia pela Universidade de Coimbra, Bação é co-autor dos livros: “A Crise Financeira Internacional”, “Crise e Castigo” e “A Economia Portuguesa na União Europeia: 1986-2010”. As suas principais áreas de interesse são: macroeconomia; economia aplicada; métodos de previsão; crise do euro.

Tiago Sequeira, Universidade de Coimbra

Tiago Sequeira é professor catedrático na Universidade de Coimbra. Doutorado em Macroeconomia pela Universidade Nova SBE, Sequeira dedica-se sobretudo ao estudo do crescimento económico endógeno e às suas aplicações empíricas. As suas áreas de investigação são, assim, a macroeconomia, incluindo a relação dessa matéria com as alterações climáticas.

João Amador, Banco de Portugal

Licenciado e doutorado em Economia pela Universidade Nova SBE, João Amador é, hoje em dia, economista no Banco de Portugal. É também professor assistente na SBE, na qual leciona políticas de macroeconomia e economia europeia. As suas áreas de interesse são as seguintes: comércio internacional, mercado e produtividade, macroeconomia, finanças públicas, economia portuguesa e economia europeia.

Miguel St. Aubyn, Conselho Finanças Públicas

Miguel St. Aubyn é, atualmente, vogal executivo do Conselho Superior do Conselho de Finanças Públicas (CFP). É também professor catedrático de Economia no ISEG. No que diz respeito à sua formação académica, é doutorado em Economia pela London Business School, no Reino Unido. É autor e co-autor de vários livros e artigos científicos, tendo desenvolvido investigação na área da macroeconomia, da análise da eficiência da despesa pública e do crescimento económico.

Ricardo Reis, London School of Economics

Atualmente, Ricardo Reis é professor de Economia na London School of Economics, no Reino Unido. Dourado em Economia pela universidade norte-americana de Harvard, Ricardo Reis conquistou, em 2016, o prémio Germán Bernácer para melhor economista nascido na Europa a investigar macroeconomia e finanças. Também já foi professor nas renomadas universidades norte-americanas de Columbia e Princeton. Estuda sobretudo macroeconomia.

Miguel Faria e Castro, Federal Reserve Bank of St. Louis

Miguel Faria e Castro é, atualmente, economista no Federal Reserve Banl of St. Louis, nos Estados Unidos. É doutorado em Economia pela New York University e dedica-se sobretudo ao estudo da macroeconomia, políticas monetárias e orçamentais e instituições financeiras. Antes de embarcar para os Estados Unidos, Faria e Castro licenciou-se e tornou-se mestre em Economia na Universidade Nova de Lisboa.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Quem são os economistas de elite que Costa quer que salvem a economia?

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião