Varoufakis considera “vergonhoso” desempenho de Centeno no Eurogrupo

  • ECO
  • 17 Abril 2020

O ex-ministro das Finanças da Grécia, Yanis Varoufakis, faz duras críticas ao desempenho de Mário Centeno na liderança do Eurogrupo, bem como às medidas até agora decididas a nível europeu.

Yanis Varoufakis, ex-ministro das Finanças do governo de Alexis Tsipras na Grécia, faz duras críticas em relação ao desempenho de Mário Centeno na liderança do Eurogrupo, bem como às medidas até agora decididas a nível europeu de resposta à pandemia. Em entrevista à rádio TSF, esta sexta-feira, o antigo governante grego classifica como “vergonhoso” o desempenho de Centeno a este nível e diz acreditar que o pacote de 500 mil milhões para combater a crise do coronavírus marca mesmo o início do fim do euro.

“Uma palavra: vergonhoso”, foi desta forma que Varoufakis respondeu para classificar o desempenho de Mário Centeno no Eurogrupo, acrescentando que “ele devia baixar a cabeça com vergonha por ter arranjado este não-acordo“, destacando que o governante português “vem de um país que conhece a dor da austeridade, que sabe que a Zona Euro nunca lidou racionalmente com a enorme crise de 2010 e 2011”.

Tendo em conta essas circunstâncias, Varoufakis considera que o ministro das Finanças português “tinha o dever moral e político para com os povos português e europeu de não repetir os desempenhos do sr. Juncker e do sr. Dijsselbloem quando eram presidentes do Eurogrupo”.

Relativamente ao acordo de 500 mil milhões de euros recentemente alcançado, em concreto, o ex-governante grego diz que “são quase só empréstimos“, considerando que “é exatamente o que a Europa não precisa“. Diz ainda que “ao rejeitar os eurobonds, tendo em vez disso empréstimos do Mecanismo Europeu de Estabilidade ou dos mercados, países como a Grécia ou Portugal vão estar tão endividados no próximo ano que, mesmo sem restrições orçamentais europeias, vai haver um nível de austeridade pior que a de 2011″.

Face à possibilidade de com esta crise poder estar em causa o fim da Zona Euro, Varoufakis é perentório. “Não tenho dúvidas de que sim, se continuarmos neste caminho”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Varoufakis considera “vergonhoso” desempenho de Centeno no Eurogrupo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião