BCP volta a renovar mínimo histórico. Recua para 8,5 cêntimos

Os títulos do banco liderado por Miguel Maya seguem a prolongar as perdas da sessão anterior, caindo 3,72%, para os 8,55 cêntimos, um novo mínimo histórico.

Depois de ter renovado mínimos de sempre na sessão de terça-feira, o BCP continua sob pressão e atinge um novo mínimo histórico esta quarta-feira. Os títulos do banco liderado por Miguel Maya seguem a prolongar as perdas da sessão anterior, caindo 3,27%, para os 8,59 cêntimos.

Este desempenho do BCP acontece depois de o CaixaBank/BPI ter divulgado uma nota, esta quarta-feira, onde corta o preço-alvo das ações do BCP, para 11 cêntimos por ação (contra a anterior estimativa de 25 cêntimos), devido ao impacto do coronavírus.

No início da semana, o BCP anunciou que os lucros da sua unidade polaca, o Bank Millennium, baixaram 89% em termos homólogos no primeiro trimestre para 18,1 milhões de zlótis (4,2 milhões de euros). Já no trimestre anterior os lucros estavam em queda (26%). Mais uma vez foi a necessidade de estabelecer provisões que penalizaram os resultados nos três primeiros meses do ano.

Foram já negociadas 38,72 milhões de ações do banco nesta sessão, que é também marcada pela queda do PSI-20, índice de referência português. Pela Europa, o índice que monitoriza os principais bancos na Velho Continente está também em queda. Destaque para o recuo do Santander, que cai 1,51%, e para o UniCredit, que regista uma queda que ronda os 4%.

(Notícia atualizada às 12h25)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

BCP volta a renovar mínimo histórico. Recua para 8,5 cêntimos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião