5 coisas que vão marcar o dia

No dia em que há novos dados do PIB, há reações a resultados trimestrais e dividendos na bolsa de Lisboa. No Parlamento, discutem-se comissões bancárias.

É certo que a recessão em Portugal, causada pela pandemia, será profunda. Esta sexta-feira, poderá começar a ter-se noção do impacto do coronavírus na economia, ainda que o vírus apenas tenha começado a fazer-se sentir no final do primeiro trimestre. Será também importante seguir a evolução da atividade turística em março, mas também as medidas da segunda fase de desconfinamento, que será apresentada pelo Governo após o Conselho de Ministros. Na bolsa, depois da venda de parte da Media Capital, será de acompanhar o comportamento das ações de empresas que apresentaram contas, isto enquanto alguns investidores recebem os dividendos dos lucros de 2019.

Coronavírus já se sente no PIB?

O centro das atenções vai estar, esta sexta-feira, nos dados do produto interno bruto (PIB) referentes ao primeiro trimestre do ano, tanto de Portugal como dos restantes países da União Europeia. A perspetiva é de que a economia nacional ainda tenha crescido nos três meses até março, mas haverá um abrandamento em resultado do confinamento provocado pelo coronavírus. O rombo mais expressivo será sentido no segundo trimestre, levando a uma contração no total do ano. Apesar de o Governo não ter atualizado as projeções para a economia, as estimativas internacionais para a totalidade do ano antecipam uma forte quebra. A Comissão Europeia espera uma recessão de 6,8% e o Fundo Monetário Internacional de 8%.

Turismo em queda com o vírus

O Instituto Nacional de Estatística (INE) vai revelar os dados da atividade turística. Se em fevereiro ainda houve um crescimento de 15% face ao mesmo mês do ano passado, embora com a quebra para menos de metade dos turistas chineses, os números de março já vão demonstrar um cenário bem diferente. Na estimativa rápida já apresentada, referente ao terceiro mês do ano, o INE apontava já para uma quebra de 50% no número de turistas, principalmente devido à perda de hóspedes nacionais.

Desconfinamento, a nova fase. Costa anuncia-a hoje

Depois de mais um encontro com especialistas no Infarmed, o Governo vai reunir-se esta sexta-feira em Conselho de Ministros para apresentar a segunda fase do processo de desconfinamento, que arrancará dia 18 com a reabertura dos restaurantes. Marcelo Rebelo de Sousa, que esteve novamente na reunião, juntamente com Ferro Rodrigues, António Costa e os líderes dos restantes partidos, deu a “luz verde” para esta nova fase, salientando que os portugueses foram “muito contidos” na primeira fase.

Banco de Portugal e banqueiros ouvidos sobre comissões

O tema das comissões bancárias volta à Assembleia da República com audições ao secretário-geral da Associação Portuguesa de Bancos, Norberto Rosa, ao vice-governador do Banco de Portugal, Máximo dos Santos. A intenção dos deputados é estarem, em junho, em conversações para tentarem consensualizar as várias propostas para avançar com as limitações às comissões bancárias, nomeadamente em plataformas eletrónicas como o MB Way.

Resultados, dividendos e Media Capital

Na bolsa, depois da apresentação das contas, Corticeira Amorim e a Novabase deverão reagir aos resultados do primeiro trimestre deste ano, isto enquanto os acionistas da Sonae e da Altri começam a receber os dividendos dos lucros do ano passado. A partir desta sexta-feira é a vez de a Sonae pagar 0,0463 euros por ação, num total de 92,6 milhões de euros. Também a Altri começa a remunerar os acionistas, em 0,30 euros por ação, o que totaliza 61,5 milhões de euros. Será também importante acompanhar a reação em bolsa da Media Capital à compra de 30% do capital por parte de Mário Ferreira, por uma soma de 10,5 milhões de euros.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

5 coisas que vão marcar o dia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião