Galp e BCP disparam 7%. Lisboa vive a melhor sessão em quase dois meses

O PSI-20 valorizou mais de 4%, alinhado com os fortes ganhos dos pares europeus, enquanto arrancou mais uma fase de desconfinamento da economia. Em Lisboa, a Galp e o BCP deram gás ao índice.

O verde imperou em Lisboa, com a bolsa nacional a selar a melhor sessão em quase dois meses. O PSI-20 disparou mais de 4%, alinhado com os pares europeus, com os ganhos de 7% da Galp Energia e do BCP a darem gás ao índice. Mas houve títulos a ganhar mais, apoiados no início de mais uma fase de desconfinamento da economia.

O PSI-20 acelerou 4,62%, para 4.180,22 pontos, com todos os 18 títulos que o compõem em alta. Na Europa, o Stoxx 600 disparou também mais de 4%, recuperando da pior semana dos últimos dois meses.

A semana arranca com uma nova fase de desconfinamento não só em Portugal, como noutros países, o que deu fôlego ao otimismo dos investidores relativamente à evolução das economias apesar de ainda estarem a braços com a pandemia. Os testes a uma potencial vacina para o novo coronavírus geraram resultados promissores, sustentando ainda mais o otimismo nos mercados a nível global.

A evolução das cotações do petróleo também acompanharam os sinais positivos da economia, numa altura em que a produção trava e as perspetivas de consumo de “ouro negro” aceleram. O barril de crude WTI acelerava 12,54%, para 33,12 dólares, até máximos de mais de dois meses (10 de março) em Nova Iorque. Já o Brent avançava 9,82%, para 35,69 dólares em Londres, fasquia máxima desde 11 de março.

A Galp Energia acompanhou a recuperação das cotações do petróleo, com as suas ações a dispararem 7,39%, para os 10,67 euros. Subida acontece ainda na sessão anterior às ações da petrolífera começarem a negociar a descontar o dividendo que será distribuído pelos acionistas a 21 de maio.

A par da Galp Energia, o BCP foi dos principais suportes do índice bolsista nacional. As suas ações valorizaram 7,23%, para os 9,34 cêntimos, ganho que ocorre um dia antes de o banco liderado por Miguel Maya apresentar o balanço das suas contas relativo ao primeiro trimestre do ano.

Mota-Engil lidera ganhos em Lisboa

Em alta, destaque também para as cotadas do universo EDP. As ações da EDP somaram 4,06%, para os 4,052 euros, no dia em que anunciou mais uma venda de ativos. A elétrica liderada por António Mexia vendeu dois grupos da central de ciclo combinado de Castejón, na região de Navarra, em Espanha, e o negócio comercial junto de clientes residenciais à Total por 515 milhões de euros. As da participada EDP Renováveis avançaram 1,6%, para os 11,40 euros.

Entre os ganhos mais acentuados da praça bolsista, referência contudo para a Mota-Engil que encabeçou os ganhos do PSI-20. As suas ações dispararam 12,62%, para os 1,16 euros.

Seguiram-se os títulos do setor papeleiro. As ações da Navigator valorizaram 9,07%, para os 2,236 euros, enquanto as da casa-mãe Semapa somaram 9,19%, para os 8,44 euros. Já as da Altri aceleraram 7,37%, para os 4,402 euros.

(Notícia atualizada às 17h03)

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Galp e BCP disparam 7%. Lisboa vive a melhor sessão em quase dois meses

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião