Centeno também foi almoçar fora. Quer regresso “aos pequenos hábitos da vida em sociedade” para revitalizar a economia

Depois de dias preenchidos com a polémica do Novo Banco, programa de estabilidade e Eurogrupo, Mário Centeno assinalou a segunda fase do plano de desconfinamento

Os últimos dias têm sido de correria: a polémica com o primeiro-ministro por causa da transferência de 850 milhões de euros para o Novo Banco, a discussão do plano de estabilidade e ainda o Eurogrupo não deram descanso ao ministro das Finanças. Esta segunda-feira, Mário Centeno foi almoçar fora para assinalar o início da segunda fase de desconfinamento do país, com um desejo simples: “Regressar aos pequenos hábitos da vida em sociedade”.

A acompanhar essa mensagem no Twitter está uma fotografia de Mário Centeno, sozinho, numa esplanada de um restaurante em Lisboa, onde almoçou no dia em que muitos restaurantes abriram portas.

“Depois de tantas semanas de confinamento, chegou o momento de gradualmente regressar aos pequenos hábitos da vida em sociedade. Com as devidas cautelas mas com confiança para revitalizar a nossa economia”, frisou o ministro das Finanças naquela rede social.

Foi um dia em que governantes decidiram almoçar fora, no sentido de transmitir um sinal de tranquilidade aos portugueses no regresso à vida normal em tempos de pandemia.

O primeiro-ministro, António Costa, almoçou com o presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues, no restaurante Alfaia, no Bairro Alto, em Lisboa. De manhã, antes da entrevista na TSF, António Costa tomou o pequeno-almoço na pastelaria Califa, em Benfica.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Centeno também foi almoçar fora. Quer regresso “aos pequenos hábitos da vida em sociedade” para revitalizar a economia

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião