Vai de férias? Saiba que países obrigam a ficar de quarentena

  • ECO
  • 25 Maio 2020

Com o verão cada vez mais perto, os países começam a pensar nas medidas a adotar para controlar o turismo. Uns preferem decretar quarentena para quem chega, outros optam por medidas menos radicais.

Com o verão à porta, os países começam a pensar nos milhões que o turismo traz para as economias e, face a isso, é tempo de começar a pensar nas medidas a impor para controlar o contágio de coronavírus. Se uns decidem impor quarentena, outros preferem dar sinais de alívio. As medidas para os turistas estrangeiros já estão a ser conhecidas.

Aplicar, ou não, a quarentena? A Comissão Europeia já disse que não é necessário que os países da União Europeia (UE) apliquem a quarentena obrigatório aos visitantes, desde que adotem medidas de contenção “satisfatórias”. A comissária europeia da Saúde disse que impor quarentena é “uma medida de saúde pública decidida por cada país”, embora seja desaconselhada por Bruxelas.

E, ao que parece, Portugal partilha da mesma opinião: quarentena obrigatória não é uma hipótese que esteja em cima da mesa. Contudo, isso pode mudar no quadro de negociações da UE, como adiantou o Ministério da Administração Interna ao Diário de Notícias. Exceção são os Açores, onde quem chegar terá de ficar em quarentena durante 14 dias num hotel, cujos custos são assumidos pelo Governo regional. Quem não quiser, tem a opção de ficar em isolamento profilático em casa ou num hotel à escolha. Mas qualquer uma das opções implica a realização de um teste de rastreio à chegada.

Na Europa, há países que concordam e outros que não concordaram com a UE, preferindo precaverem-se. Saiba quais são os países que, até agora, já decretaram, ou não, quarentena obrigatória a quem chegar de fora.

Espanha

Com mais de 233 mil pessoas infetadas e quase 28 mil vítimas mortais, Espanha é dos países mais afetados pela pandemia na Europa. Depois de decidir prolongar o estado de emergência até 6 de junho, o Governo espanhol decretou que o uso de máscaras é obrigatório em todos os espaços públicos, seja ao ar livre ou espaços fechados, e, quando não for possível deve manter-se uma distância social de mais de dois metros. E avançou com uma quarentena de 14 dias a quem chegar ao país.

França

A mesma decisão foi adotada pelo Governo francês, após prolongar o estado de emergência sanitária até 24 de julho. Os estrangeiros que chegarem a França terão de cumprir uma quarentena de 14 dias, “incluindo [os vindos] da Córsega e dos departamentos e territórios ultramarinos”, disse o ministro da Saúde. No caso de pessoas infetadas, a quarentena passa para 30 dias. Quem não concordar com estas regras, disse Olivier Véran, será repatriado.

Relativamente aos emigrantes portugueses em França, Emmanuel Macron deu a António Costa a garantia de que aqueles que vierem a Portugal não terão de ficar em quarentena quando regressarem a território francês.

Reino Unido

Mais a norte da Europa, também quem chegar ao Reino Unido terá de ficar em quarentena por 14 dias. Esta medida foi inicialmente exigida aos britânicos repatriados da China e do cruzeiro Diamond Princess, mas nunca foi imposta a quem chegasse de países como Itália, mas agora vai ser aplicada a todos os que passem a fronteira.

Esta quarentena não se aplica, contudo, à Irlanda, devido aos compromissos de livre circulação na fronteira com a Irlanda do Norte previstos nos acordos de paz para aquele território britânico.

Itália

Itália, um dos países mais afetados pela pandemia, já tem data para reabertura de fronteiras e aeroportos: 3 de junho. Assim, a partir deste dia, a entrada de estrangeiros no país volta a ser possível, e não deverá ser decretada a quarentena obrigatória, disse a ministra dos Transportes, referindo ainda que o levantar destas restrições visa salvar o turismo do verão. Paola de Micheli referiu que o Governo italiano está em contacto com Espanha, França e Alemanha para desenvolver um protocolo de ação conjunta que permita voos de verão “sem quarentenas recíprocas”.

Alemanha

Na Alemanha, as regras são diferentes dependendo da nacionalidade de quem chega ao país. De acordo com o site Schengen Visa Info (conteúdo em inglês), o Governo alemão decidiu dispensar os britânicos e outros cidadãos da União Europeia da quarentena, mas vai recomendar esta medida para as pessoas que venham de países com elevado número de casos de infetados. A quarentena obrigatória de duas semanas vai continuar a aplicar-se apenas aos viajantes de fora do Espaço Económico Europeu.

Suíça

A Suíça implementou a partir de 11 de maio uma série de medidas, ao mesmo tempo que arranca com o processo de desconfinamento. Quem quiser viajar para a Suíça pode fazê-lo apenas através dos aeroportos de Zurique, Genebra e Basileia, e os estrangeiros não são obrigados a fazer quarentena quando chegam ao país, lê-se no site do Governo suíço.

Grécia

Na Grécia, todos os viajantes estrangeiros da União Europeia vão ficar em quarentena durante 14 dias quando chegarem ao país, e essa será uma medida controlada pelas autoridades gregas. A quem não cumprir esta condição, serão aplicadas multas. Contudo, excluídos desta obrigatoriedade estão os cidadãos britânicos que, ainda assim, devem seguir os conselhos das autoridades da Grécia.

Áustria

O Governo austríaco definiu 15 de junho como a data de reabertura das fronteiras com a República Checa, Eslováquia e Hungria, num processo antecederá a abertura de fronteiras com outros países da União Europeia, diz a Reuters. Por enquanto não está prevista qualquer quarentena obrigatória, mas as autoridades da Áustria já adiantaram que haverá fiscalizações aleatórias aos cidadãos estrangeiros que entrem no país.

Noruega

Na Noruega as restrições foram parcialmente levantadas, mas continuam. O Governo daquele país continua a não permitir a entrada de cidadãos estrangeiros, a não ser que estes venham em trabalho ou tenham familiares no país. De acordo com o Life In Norway (conteúdo em inglês), as fronteiras continuarão encerradas para todos os cidadãos que não se encontrem nestas situações até 20 de agosto. Ainda assim, o Governo está a estudar a possibilidade de abrir novas exceções para os países nórdicos e outros países da União Europeia.

Emirados Árabes Unidos

No Oriente, nos Emirados Árabes Unidos, as autoridades recomenda a todos os viajantes que fiquem, pelo menos, 14 dias em quarentena quando chegam ao país, enquanto apelas aos residentes para que fiquem em casa, refere o site da Embaixada dos Estados Unidos nos Emirados (conteúdo em inglês). Contudo, os Emirados aplicaram uma série de restrições, como o recolher obrigatório entre as 20h e as 6h.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vai de férias? Saiba que países obrigam a ficar de quarentena

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião