Novo Banco põe Paulo Maló em tribunal. Reclama dívida de 1,3 milhões de euros

  • ECO
  • 2 Junho 2020

O Novo Banco avançou para tribunal contra o fundador da Malo Clinic, reclamando uma dívida de 1,3 milhões que terá estado relacionada com a compra de uma propriedade.

O Novo Banco avançou para tribunal contra Paulo Maló, na tentativa de recuperar uma dívida de 1,34 milhões de euros. O processo de execução contra o médico deu entrada esta terça-feira no Tribunal Judicial da Comarca de Lisboa e surge depois de, em 2019, o banco ter tomado o controlo da Malo Clinic, acabando a empresa por ser vendida a um fundo privado.

A notícia foi avançada pelo Expresso, que salienta que a dívida não estará relacionada com a Malo Clinic, da qual o empresário foi afastado no ano passado. Ao jornal, o próprio empresário assume que o montante reclamado pelo Novo Banco estará relacionado com a compra de um imóvel e garante ter solicitado ao banco um plano de pagamento em cinco anos, indicando não ter recebido qualquer resposta.

Esta é mais uma página numa relação tripartida e conturbada. A Malo Clinic avançou para um Plano Especial de Revitalização (PER) e Paulo Maló, fundador da rede de clínicas dentárias, acusou o Novo Banco, credor, de ter permitido ao fundo que comprou a empresa o que não lhe permitiu a elereestruturação e perdão de dívida, no valor de 25 milhões de euros.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Novo Banco põe Paulo Maló em tribunal. Reclama dívida de 1,3 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião