Madrid vai ter 25.000 apartamentos para arrendar a metade do preço de mercado

Em Madrid, juntamente com o setor privado, vão ser construídos 25.000 apartamentos com rendas acessíveis, dos quais 15.000 serão arrendados já no próximo trimestre.

O Governo de Madrid vai avançar com o “Plan Vive”, um projeto em parceria com privados, que passa pela construção de 25.000 apartamentos com rendas 50% abaixo do preço de mercado. Este plano requer um investimento de 3.500 milhões de euros e, de acordo com o El Economista (conteúdo em espanhol), as primeiras 15.000 casas deverão ser já arrendadas no próximo trimestre.

O projeto não é novidade, mas a sua execução sim. Para colmatar a falha do mercado de arrendamento madrileno, a autarquia cedeu os terrenos e juntou-se a privados para promover a construção de 25.000 apartamentos, que serão depois concessionados para serem arrendados a preços acessíveis. “O Plano Vive exigirá um investimento de mais de 3.500 milhões de euros que não temos”, disse o vereador da Habitação, citado pelo jornal espanhol, justificando a necessidade de se fazer esta parceria com o setor privado.

David Pérez sublinhou a importância de um projeto desta dimensão para Madrid que, para além de melhorar o problema do mercado de arrendamento, vai criar postos de trabalho. “Será um grande estímulo económico” para a região, disse o vereador, afirmando que é preciso “parar de pensar que os grandes projetos são negativos”. “O Plan Vive, por exemplo, vai criar 100.000 empregos”, sublinhou.

De acordo com o vereador, as estimativas apontam para que “se licitem as primeiras 15.000 habitações, das 25.000 que serão construídas, no próximo trimestre”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Madrid vai ter 25.000 apartamentos para arrendar a metade do preço de mercado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião