Lojas do Cidadão na Área Metropolitana de Lisboa ficam fechadas até dia 15

As lojas do Cidadão vão manter-se encerradas até 15 de junho. Em causa estão as lojas das Laranjeiras, Saldanha, Marvila, Cascais, Cacém, Setúbal, Odivelas, Mafra e Pinhal Novo e Pinhal Novo Móvel.

As Lojas do Cidadão da área Metropolitana de Lisboa (AML) vão manter-se encerradas até 15 de junho, devido ao elevado número de pessoas infetadas pelo novo coronavírus na zona da Grande Lisboa. A decisão foi publicada esta quinta-feira em Diário da República.

“Na Área Metropolitana de Lisboa, as Lojas do Cidadão permanecem encerradas, sem prejuízo de poderem aceitar marcações para atendimento presencial a realizar após 15 de junho de 2020“, lê-se no decreto publicado esta quinta-feira em Diário da República.

Mantém-se, contudo, “o atendimento presencial por marcação nas Lojas do Cidadão apenas nas localidades onde não existam balcões desconcentrados, bem como a prestação desses serviços através dos meios digitais e dos centros de contacto com os cidadãos e as empresas”.

Em causa estão as lojas do cidadão das Laranjeiras, Saldanha, Marvila, Cascais, Cacém, Setúbal, Odivelas, Mafra e Pinhal Novo e Pinhal Novo Móvel, sendo que os agendamentos previstos para estes locais serão remarcados por iniciativa dos serviços.

A terceira fase de desconfinamento está a feita a diferentes velocidades no país. A situação na região de Lisboa e Vale do Tejo (LVT) merece uma atenção especial, face ao número crescente de contágios nos últimos dias, sendo que nas últimas 24 horas 93,4% dos novos casos foram registados nesta região.

Nesse sentido, o Governo, aquando do anúncio das medidas de desconfinamento para esta terceira fase, decidiu manter encerradas as Lojas do Cidadão e centros comerciais em Lisboa e Vale do Tejo até dia 5 de junho. Já as lojas com mais de 400 metros quadrados e as feiras estavam sujeitas a decisão camarária.

Além disso, o Governo manteve também a interdição de ajuntamentos de 10 pessoas, enquanto no resto do país passou a partir desta segunda-feira, dia 1 de junho, para 20 pessoas.

Esta quinta-feira há Conselho de Ministros para fazer novo ponto de situação destas medidas, sendo que é certo que as Lojas do Cidadão ficam encerradas pelo menos por mais 10 dias.

(Notícia atualizada às 16h45)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lojas do Cidadão na Área Metropolitana de Lisboa ficam fechadas até dia 15

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião