Porto de Sines “dificilmente parará de fazer novos investimentos”, diz ministro

  • Lusa
  • 8 Junho 2020

"Há um conjunto de investimentos que vão ter de continuar a acompanhar a expansão do porto”, indicou o ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

O ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, disse esta segunda-feira que o Porto de Sines, no distrito de Setúbal, “dificilmente parará de fazer novos investimentos”, considerando que a ligação dos portos à ferrovia “é estruturante”.

“O Porto de Sines é fundamental para o desenvolvimento do país e é um porto que dificilmente parará de fazer novos investimentos. Já foi lançado o concurso para o Terminal XXI e para o novo Terminal Vasco da Gama e há um conjunto de investimentos que vão ter de continuar a acompanhar a expansão do porto”, sublinhou o governante durante uma visita às obras de requalificação do ramal ferroviário do Porto de Sines.

O investimento de 16,8 milhões de euros, da PSA Sines, concessionária do Terminal XXI, e da Administração do Porto de Sines (APS), vai permitir aumentar a movimentação diária de 24 comboios, de 600 metros de comprimento cada, para 36 comboios de 750 metros cada, correspondendo a “um incremento de duplicação da capacidade atual do ramal”.

“Este investimento permitirá aumentar a capacidade do ramal ferroviário em número de comboios e no comprimento dos comboios, o que significará a duplicação da capacidade do ramal ferroviário e isto é crítico para que continuemos a crescer no Terminal XXI, no Porto de Sines, no geral”, afirmou.

Para o governante, a ligação dos portos à ferrovia “é obviamente estruturante” e a ligação da ferrovia a Espanha e ao restante território nacional “é fundamental”, sendo o Porto de Sines “central nesse grande esforço de desenvolvimento nacional”.

Destacando o facto de todas as obras no porto alentejano não terem sofrido atrasos ou paragens, devido à pandemia de covid-19, o ministro das Infraestruturas e da Habitação deu o exemplo da ampliação e modernização do ramal ferroviário do porto.

“Com todas as medidas de segurança que foram asseguradas durante este período era importante que, dentro do possível, não parássemos as obras e isso aconteceu aqui. Foi muito importante este investimento não ter parado e terem sido cumpridos os prazos, apesar da situação que se viveu nos últimos três meses em Portugal”, afirmou.

O projeto de ampliação e modernização do ramal ferroviário do Porto de Sines visa dotar o Terminal de Contentores de Sines (Terminal XXI) e o futuro Terminal Vasco da Gama de melhores condições de operação e manobra e de aumento da capacidade instalada decorrente do previsível aumento de carga contentorizada através da ferrovia.

A empreitada inclui duas novas linhas com capacidade de receção de composições de 750 metros de comprimento, obra já concluída e executada pela PSA Sines, e a introdução de melhorias nos sistemas de via, catenária e de sinalização.

De acordo com a APS, o projeto contempla ainda “o redimensionamento do ‘layout’ do atual ramal” para permitir manobras de comboios de 750 metros e o aumento do tráfego “com a construção de uma 4.ª linha de 804 metros de comprimento, e de uma nova linha de reversão adequada à dimensão destas composições para, no futuro, garantir a ligação dos dois terminais”.

No futuro, indica a administração do Porto de Sines, poderá ser instada uma 5.ª linha de resguardo para aumento da capacidade da manobra, bem como a ligação ao Terminal Vasco da Gama, com a construção de um segundo acesso”.

As obras em curso permitem igualmente a instalação de sinalização em todas as linhas, com um sistema de comando remoto, um posto de transformação, equipamento elétrico e ‘software’ associado.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Porto de Sines “dificilmente parará de fazer novos investimentos”, diz ministro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião