Conselho de Ministros terminou com aplausos a Mário Centeno. Costa só anunciou saída após aprovação do OE

António Costa só anunciou aos restantes ministros que Mário Centeno iria abandonar as Finanças depois de aprovado o Orçamento Suplementar. No final, todos os ministros bateram palmas a Mário Centeno.

João Leão (à esquerda) vai substituir Mário Centeno no ministério das Finanças.Hugo Amaral/ECO

Foi um dia insólito que começou com um Conselho de Ministros a aprovar o Orçamento do Estado Suplementar e que terminou com esse mesmo Orçamento a ser apresentado ao final do dia por dois ministros das Finanças lado a lado: o indigitado (João Leão) e o demissionário (Mário Centeno).

O ECO soube de fonte próxima do Governo que António Costa esperou pelo final do Conselho de Ministros desta manhã, e pela aprovação do Orçamento do Estado Suplementar, para anunciar a saída de Mário Centeno. Após o anúncio, os ministros, todos sem exceção, aplaudiram o ainda ministro as Finanças. Foi um momento de alguma emoção no Palácio da Ajuda, conta quem lá esteve.

Foi um sinal de reconhecimento daquele que foi o primeiro Ministro das Finanças em democracia a conseguir equilibrar as contas públicas. Centeno contribuiu ainda para baixar os juros da dívida pública para mínimos históricos e, segundo o balanço feito pelo próprio esta manhã, “os números certos sempre fizeram parte deste trajeto e sempre estiveram certos”.

Mas nem em todos os 1.664 dias que passou no Governo — contabilização de dias feita pelo próprio esta manhã no final do Conselho de Ministros — foram de sintonia com os restantes membros do Governo. Em vários momentos, a política de cativações e o controlo da despesa provocaram mal estar entre os colegas de Governo e de partido.

No final de 2019, quando se preparava o Orçamento do Estado para este ano, Ana Catarina Mendes e Carlos César — dois nomes de peso no partido e próximos de António Costa — apontaram falhas à estratégia de financiamento para a Saúde e defenderam que deveria ser prioridade no Orçamentos seguinte. Mas esta terça-feira, a líder da bancada parlamentar do PS não poupou elogios a Mário Centeno: “foi o melhor ministro das Finanças de Portugal de sempre”.

Mário Centeno vai ser substituído no cargo pelo atual secretário de Estado do Orçamento, e a tomada de posse será na próxima segunda-feira. Será já João Leão a discutir na Assembleia da República o Orçamento Suplementar que foi aprovado esta terça-feira em Conselho de Ministros. Mário Centeno também abandona a 13 de julho a presidência do Eurogrupo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Conselho de Ministros terminou com aplausos a Mário Centeno. Costa só anunciou saída após aprovação do OE

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião