Tesouro não conhece os imóveis do Estado sob a sua responsabilidade, diz Inspeção-Geral de Finanças

  • ECO
  • 17 Junho 2020

Estado não sabe ao certo quantos imóveis tem, assim como a avaliação adequada do seu património. Dos mais de 12 mil imóveis que constam do sistema de registos, em cerca de 72% não constava o valor.

A Direção-Geral do Tesouro e Finanças (DGTF) não conhece os imóveis que estão sob a responsabilidade do Estado, revela a Inspeção-Geral de Finanças (IGF) numa auditoria à Gestão do Património Imobiliário do Estado, avançou o Jornal Económico (acesso livre).

De acordo com a Inspeção-Geral de Finanças, no final de 2016, o Estado detinha 4.596 imóveis desocupados, dos quais 1.983 não tinham a respetiva propriedade identificada nos registos. Para além destes números, em cerca de 72% dos mais de 12 mil imóveis registados não constava o valor patrimonial, entre os quais estão alguns dos maiores hospitais do país.

A auditoria à Gestão do Património Imobiliário do Estado mostra ainda que 61 imóveis arrendados a particulares se mantinham igualmente desocupados, tendo a DGTF invocado que se tratavam de situações transitórias. Face a estas incertezas, a Inspeção-Geral de Finanças propõe que seja apresentado à tutela um plano de gestão integrada do património imobiliário.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Tesouro não conhece os imóveis do Estado sob a sua responsabilidade, diz Inspeção-Geral de Finanças

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião