Carateres não chegam? Já pode “tweetar” a sua própria voz… até 140 segundos

O Twitter permite agora publicar mensagens de áudio, ao invés de texto escrito. O limite é de 140 segundos e a funcionalidade já está disponível para alguns utilizadores com iPhone.

Para aquelas ocasiões em que 280 carateres não chegam, o Twitter TWTR 0,00% permite agora tweetar a sua própria voz. Trata-se de uma nova funcionalidade da rede social para gravar e publicar mensagens de áudio, uma evolução face ao modelo atual que apenas possibilita mensagens com texto, imagens e vídeos.

“Pode tweetar um tweet. Mas agora pode tweetar a sua voz. A partir de hoje [quarta-feira], é possível gravar um tweet em áudio no iOS”, anunciou a rede social numa mensagem… no Twitter. Entre tweets e mais tweets, a novidade faz do áudio um formato nativo na plataforma, o que a empresa espera que dê um toque mais “humano” às discussões — e são muitas — que têm lugar a cada instante no seio da plataforma.

O recém-anunciado formato está já disponível para todos os utilizadores em todas as plataformas. No entanto, neste momento, apenas um conjunto restrito de utilizadores com iPhone está habilitado a criar este tipo de mensagens, uma vez que a novidade ainda está em fase de testes. A empresa liderada por Jack Dorsey já informou que planeia permitir que toda a gente em todos os sistemas possa criar mensagens de voz, mas não se comprometeu com uma data para tal.

Há, no entanto, uma limitação: as mensagens de voz não podem ter mais do que 140 segundos. Lembra-se do número? Era o limite máximo de carateres das mensagens do Twitter antes de a rede social ter alargado para 280 em 2017 (uma novidade que, na altura, foi bastante mal recebida pela comunidade). Para os mais faladores, que excedam os 140 segundos, o Twitter vai automaticamente criar uma thread, o termo que se refere a uma sequência de tweets sobre o mesmo tema, publicados em conjunto.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Carateres não chegam? Já pode “tweetar” a sua própria voz… até 140 segundos

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião