Sócios do Benfica chumbam orçamento do clube

Em assembleia-geral, os sócios do Sport Lisboa e Benfica chumbaram o orçamento apresentado pela direção liderada por Luís Filipe Vieira.

Luís Filipe Vieira, Presidente do BenficaLuís Filipe Vieira/Instagram

Em Assembleia Geral, com ponto único, os sócios do Sport Lisboa e Benfica votaram, esta sexta-feira, o orçamento ordinário de exploração, o orçamento de investimentos e o plano de atividades elaborados pela direção, bem como o parecer do Conselho Fiscal para o exercício de 2020/2021.

Segundo uma nota publicada no site do clube, 47,79% dos sócios votaram favoravelmente, 3,93% abstiveram-se e 48,28% votaram contra.

“A reunião magna – teve início às 15h00 e decorreu até às 22h00. A votação dos associados foi feita presencialmente no Pavilhão n.º 2 do Complexo Desportivo Estádio do Sport Lisboa e Benfica, por via eletrónica (estiveram disponíveis dez “urnas”, devidamente distanciadas – 2 metros – entre si)”, explica o clube na nota publicada no site.

O jornal Público recorda que esta não é a primeira vez que as propostas da direção benfiquista para o clube são chumbadas em AG. Em Setembro de 2012, o Relatório e Contas, relativo à época 2011/2012, também teve parecer desfavorável por parte dos sócios.

O site Mais Futebol escreve que votaram a favor 640 sócios (que deram 18.143 votos) e votaram contra 812 sócios (que deram 18.329 votos), sendo que nem todos os sócios têm direito ao mesmo número de votos.

Esta semana, o Benfica esteve em destaque nas notícias, com rumores da saída do treinador Bruno Lage, depois de a equipa principal de futebol ter sofrido uma derrota na I Liga contra o Santa Clara que a deixou mais longe da possibilidade de poder revalidar o título de campeão nacional.

As ações do Benfica cotadas na Euronext Lisbon fecharam esta sexta-feira a valer 2,75 euros.

(Notícia atualizada às 23h38)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Sócios do Benfica chumbam orçamento do clube

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião