Governo quer 25% dos funcionários em teletrabalho. Sindicatos pedem mais dinheiro

  • ECO
  • 30 Junho 2020

Sindicatos exigem aumentos salariais ou progressões. Até ao fim do mês há três reuniões técnicas entre os sindicatos e o Governo. O objetivo é e "densificar" o regime de teletrabalho.

O Governo quer que cerca de 17 mil trabalhadores do Estado fiquem em funções remotas até 2023. Os sindicatos começam a discutir esta terça-feira este assunto com as equipas técnicas do Ministério da Modernização do Estado e da Administração Pública, que dizem que é difícil fazê-lo sem uma avaliação e sem uma proposta concreta do Governo, avança o Diário de Notícias (acesso livre).

Até 24 de julho, estão marcadas três reuniões entre os sindicatos e o ministério. A ideia já antes avançada pelo ministra Alexandra Leitão é a de “densificar” o regime de teletrabalho em funções públicas – que, atualmente, remete para as regras do Código do Trabalho. Por exemplo, revendo matérias como a fiscalização dos horários.

Os sindicatos exigem aumentos salariais ou progressões na carreira para as negociações. Um dos objetivos do Governo é ter em teletrabalho pelo menos 25% dos funcionários da Administração Pública. A Federação dos Sindicatos da Administração Pública (FESAP) já adiantou que não aceita períodos longos em teletrabalho sem trabalho presencial, nem recurso ao teletrabalho externo nem teletrabalho com isenção de horário.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Governo quer 25% dos funcionários em teletrabalho. Sindicatos pedem mais dinheiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião