Hoje nas notícias: Segurança Social, cartão do cidadão e exportações

  • ECO
  • 2 Julho 2020

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

O programa “Segurança Social na Hora”, criado em janeiro, abrangeu até ao momento 80.700 pessoas, revelou a ministra Ana Mendes Godinho. O cartão de cidadão demora até cinco meses para ser entregue. As listas “negras” da Europa, que proíbem a entrada de portugueses em muitos países do Velho Continente, ameaçam a internacionalização de muitas empresas nacionais. A empresa alemã NFON escolheu Portugal para a instalação de um novo centro dedicado à investigação e desenvolvimento. O presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública diz não perceber a gestão amadora que tem sido feito na saúde pública.

Mais de 80 mil pessoas registaram-se na Segurança Social com a pandemia

O programa “Segurança Social na Hora”, criado em janeiro, abrangeu até ao momento 80.700 pessoas, de acordo com os dados divulgados pela ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social (MTSSS), em entrevista ao Público (acesso condicionado) e à Rádio Renascença (acesso livre). São “pessoas que estavam fora do sistema de Segurança Social e que entraram no sistema”, deixando a economia paralela, frisou Ana Mendes Godinho numa entrevista em que salienta ainda que os últimos números dos inscritos nos centros de desempenho têm vindo a desacelerar. Leia a entrevista completa no Público (acesso condicionado) e na Renascença (acesso livre)

Pode esperar cinco meses até receber o cartão de cidadão

O cartão de cidadão demora até cinco meses para ser entregue. Existem conservatórias e balcões de atendimento do Instituto Nacional dos Registos e Notariado a agendar o levantamento dos novos cartões de cidadão para setembro, outubro e novembro. Matosinhos, Vila Nova de Gaia, Vila do Conde, Felgueiras e Seixal são alguns dos conselhos onde o tempo de espera é maior. Os títulos que caducaram a partir de 24 fevereiro continuarão válidos até 30 outubro. Leia a notícia completa no Jornal de Notícias (acesso pago)

Listas negras para viajar travam missões empresariais e ameaçam novas exportações

As listas “negras” da Europa, que proíbem a entrada de portugueses em muitos países do Velho Continente, ameaçam a internacionalização de muitas empresas nacionais. O aviso é da Câmara de Comércio e Indústria Portuguesa (CCIP), que tinha planeado uma missão empresarial à Geórgia este mês mas teve de ser cancelada devido às restrições de viagens. Também a viagem ao Azerbaijão foi adiada. Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago)

Empresa alemã instala centro de I&D em Lisboa. Vai recrutar 30 programadores

A empresa alemã NFON escolheu Portugal, para a instalação de um novo centro dedicado à investigação e desenvolvimento (I&D), que será inaugurado em Lisboa, em setembro deste ano. O objetivo da empresa é recrutar cerca de 30 programadores até final de 2021. Este centro prestará apoio ao mercado europeu. “Portugal, e especialmente Lisboa, enquanto hub tecnológico conseguiu convencer-nos totalmente na nossa busca por um novo local de I&D”, destaca Markus Krammer, vice-presidente de produtos e novos negócios da alemã que fornece soluções de serviços telefónicos através da cloud a empresas. Leia a notícia completa no Dinheiro Vivo (acesso livre)

“Não percebo porque é que a saúde pública há de ser gerida com este amadorismo”

O presidente da Associação Nacional dos Médicos de Saúde Pública diz não perceber a gestão amadora que tem sido feito na saúde pública. Ricardo Mexia critica opções políticas que permitem que “haja 1.250 milhões para TAP, 850 milhões para o Novo Banco, 6 milhões para restituir IVA a quem organiza congressos e para a saúde pública há 700 mil euros”. Passam quatro meses desde os primeiros casos de Covid-19 em Portugal. Segundo o médico de Saúde Pública, o facto de as pessoas estarem saturadas do longo período de confinamento levou a que começassem a comportamentos que propiciam a disseminação da doença. Leia a notícia completa no jornali (link indisponível)

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: Segurança Social, cartão do cidadão e exportações

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião