Google Trends: Benfica sem Lage, Estado com a Efacec e matrículas (pouco) digitais

  • Tiago Lopes
  • 4 Julho 2020

A saída de Bruno Lage do Benfica marcou a atualidade semanal cá dentro. Lá fora, foi a emissão de um mandato de captura contra Trump. Nos negócios, destaque para a insolvência do Cirque Du Soleil.

O Benfica não está famoso em campo, mas foi um tema popular no mundo digital esta semana. A pandemia é outro assunto que persiste no topo das pesquisas no Google, sobretudo depois de 19 freguesias da Grande Lisboa terem continuado em estado de emergência. Mas, a partir desta quinta-feira, foi mesmo a nacionalização da Efacec que liderou. O mandado de captura do Irão contra Trump apanhou toda a gente de surpresa lá fora e, nos negócios, destaque para o pedido de insolvência do Cirque Du Soleil. Esta é a primeira edição da rubrica Google Trends, que destaca os temas que marcaram a semana.

Cá dentro

A hecatombe do Benfica não passou despercebida nas redes sociais, nem nas principais pesquisas no Google. Foi mesmo o termo mais pesquisado durante a semana. 543 dias depois de ter assumido o lugar de treinador das “águias”, Bruno Lage saiu pela porta pequena. Pelo meio, venceu um campeonato que já era dado como perdido, mas disso já quase ninguém se lembra…

Com apenas duas vitórias nos últimos 13 jogos e depois de bater um recorde pela negativa, ao sofrer quatro golos do Santa Clara em pleno Estádio da Luz, algo que não acontecia há 23 anos, Lage deixa o clube “encarnado”. No dia seguinte ao afastamento do técnico as ações do clube afundaram 6% em bolsa.

“Estado de calamidade” foi outro dos temas mais pesquisados em Portugal, sobretudo depois de o primeiro-ministro, António Costa, anunciar que 19 freguesias de cinco concelhos da Área Metropolitana de Lisboa continuam neste registo por serem as mais afetadas pela pandemia de Covid-19 no país.

Com o ano letivo no fim, é tempo de começar já a pensar no próximo. E foi exatamente isso que os portugueses fizeram esta semana. Há registo de milhares de acessos e pesquisas sobre o portal das matrículas, o serviço que possibilita que as renovações das matrículas das escolas sejam feitas por via eletrónica.

Da escola para a política, a manifestação do Chega, intitulada “Portugal não é racista”, não mereceu grande representação nas ruas de Lisboa. Pelo contrário, na internet, foi um dos temas mais pesquisados pelos portugueses. André Ventura, líder do partido, contou com o apoio de cerca de 1.200 pessoas que o acompanharam na descida da Avenida da Liberdade.

São muitos os portugueses que continuam em teletrabalho por causa da pandemia. E, aparentemente, também são muitas as dúvidas quanto ao seus direitos e obrigações face ao contexto da Covid-19. A pesquisa por teletrabalho encerra o “top 5” dos temas mais procurados no Google esta semana.

A fechar a semana, o anúncio do Governo em avançar com a nacionalização da Efacec após reunião de Conselho de Ministros dominou a atenção dos portugueses nas pesquisas do Google.o reforço do Estado na TAP, que esteve à beira de também ser nacionalizada, mereceu mais a atenção dos jornais, mas teve menos atenção por parte dos internautas.

Lá fora

  1. O mandado de captura. A notícia de que o Irão emitiu um mandado de captura contra o presidente dos Estados Unidos apanhou todos de surpresa. Segundo Teerão, Trump esteve envolvido no ataque que matou o general iraniano Qassem Soleimani, levando o país a pedir ajuda à Interpol.
  2. Novo vírus da gripe suína. A descoberta de cientistas chineses de um novo vírus de gripe suína com potencial pandémico fez disparar todos os alarmes. Chama-se G4 EA H1N1 e é muito semelhante a um vírus detetado em 2009. O estudo foi publicado no jornal Proceedings of the National Academy os Sciences. Os investigadores temem a possibilidade de este vírus continuar a sofrer mutações e passar a transmitir-se entre pessoas, gerando mais uma pandemia.
  3. Carl Reiner. O ator e argumentista norte-americano morreu aos 98 anos. Reiner ficou conhecido por ter criado a série de televisão The Dick Van Dyke Show em 1960, na CBS. Com uma carreira de 70 anos, o ator morreu aos 98 anos na passada segunda-feira, 29 de junho, em Los Angeles, California. Recentemente, já com 79 anos, Carl Reiner foi um dos protagonistas do filme Ocean’s Eleven.

Nos negócios

  1. Acabou-se o circo. A notícia de que o Cirque Du Soleil pediu insolvência mereceu atenção especial nas redes sociais. A companhia circense canadiana teve de cancelar vários espetáculos devido à pandemia de Covid-19 e acabou por não resistir. Avançou com um pedido de insolvência, deixando 3.500 pessoas no desemprego.
  2. Contra a desinformação e o discurso de ódio. O boicote ao Facebook por parte dos anunciantes fez com que a rede social liderada por Mark Zuckerberg desvalorizasse 60 mil milhões de euros em bolsa. Entre as principais marcas que decidiram retirar as suas campanhas de publicidade do Facebook estão a Starbuck, a Pepsi, a Coca-Cola ou a Adidas. As ações da rede social estão em queda livre.
  3. Netflix apoia Black Lives Matter. A plataforma de streaming anunciou que vai transferir 100 milhões de dólares para bancos controlados por comunidades afrodescendentes. A gigante vai começar por transferir 25 milhões de dólares para a Black Economic Development Iniative, um novo fundo que vai investir em instituições financeiras lideradas por negros e, posteriormente, dez milhões de dólares para a Hope Credit Union. O objetivo da empresa é ajudar as comunidades afro-americanas, que são constantemente vítimas da desigualdade e racismo sistémicos.

Nota: A Google Trends é uma rubrica semanal, publicada todos os sábados, que resume os temas mais populares da internet com base na ferramenta homónima da Google. É assinada pelo jornalista do ECO Tiago Lopes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Google Trends: Benfica sem Lage, Estado com a Efacec e matrículas (pouco) digitais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião