Esperança em tratamento da Covid-19 anima Wall Street

Os EUA registaram um recorde diário de novos casos de Covid-19, mas os dados "encorajadores" do tratamento com Remdesivir mitigou as preocupações dos investidores. Wall Street no verde.

Os mercados norte-americanos fecharam a última sessão da semana acima da linha de água, com os investidores animados face os dados “encorajadores” do tratamento da Covid-19 divulgados pela farmacêutica Gilead Sciences. Isto apesar de os Estados Unidos terem registado o maior aumento diário de novos casos de infeção.

O índice de referência, o S&P 500, valorizou 1,06% para 3.185,44 pontos. Igual tendência foi registada pelo industrial Dow Jones, que subiu 1,48% para 26.087,51 pontos, e pelo tecnológico Nasdaq, que somou 0,68% para 10.619,14 pontos.

A farmacêutica Gilead Sciences revelou, esta sexta-feira, dados “encorajadores” no que diz respeito ao uso do medicamente Remdesivir nos casos de Covid-19, garantindo que está associado a uma redução significativa da mortalidade face ao tratamento até aqui usado. Na sessão desta sexta-feira, as ações da Gilead Science avançaram 2,16% para 76,32 dólares.

A esperança depositada neste tratamento compensou e mitigou, de resto, os receios dos investidores face aos 61.790 novos casos de Covid-19 identificados, nas últimas 24 horas, nos Estados Unidos, um novo recorde diário. Isto num país que já é, de longe, o que tem mais casos de infeção em todo o mundo. Em reação vários estados norte-americanos já estão mesmo a considerar atrasar os planos de desconfinamento.

Na sessão desta sexta-feira, destaque ainda para os títulos do Bank of America, do Citigroup, do JPMorgan e do Goldman Sachs que subiram 5,49% para 24,02 dólares, 6,47% para 52,65 dólares, 5,44% para 96,27 dólares e 4,44% para 205,56 dólares, respetivamente. Estes bancos apresentarão, na próxima semana, os seus resultados relativos ao segundo trimestre do ano.

Também os títulos da Carnival Corp subiram avançaram 10,84% para 16,16 dólares, depois da empresa de cruzeiros ter anunciado que está a planear retomar, de modo faseado, a sua atividade.

No verde, destaque também para as ações da Netflix, que somaram 8,07% para 548,73 dólares, depois de uma revisão em alta por parte do Goldman Sachs do preço-alvo dos títulos da gigante do streaming.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Esperança em tratamento da Covid-19 anima Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião