Google Trends: Bolsonaro com Covid, desespero no portal das matrículas e o regresso da peste

  • Tiago Lopes
  • 11 Julho 2020

O portal das matrículas marcou a atualidade semanal cá dentro. Lá fora, foi a vontade da China em fazer as pazes com os Estados Unidos. Nos negócios, irá o Twitter ter uma versão paga?

As dificuldades em aceder ao portal das matrículas continuam a figurar no top de pesquisas do Google, mesmo depois de o Ministério da Educação ter decidido tornar o processo automático para a generalidade dos alunos. A marcar a semana esteve ainda a declaração do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que revelou estar infetado com o novo coronavírus. Recorde os temas que se destacaram, na segunda edição da rubrica Google Trends.

Cá dentro

Na semana passada, as dificuldades em torno do “portal das matrículas” ocuparam o terceiro lugar no top 5 dos temas mais pesquisados no Google em Portugal. Esta semana, o tema saltou até ao primeiro lugar dos assuntos mais pesquisados.

“É aqui que tudo começa”, ouve-se, quando finalmente conseguimos aceder ao portal. Na verdade, é aqui que começam grande parte dos problemas. Cá por casa, e após várias tentativas ao longo de vários dias, o trabalho foi feito numa hora e trinta minutos. Pelo meio houve a oportunidade de ver algumas séries para aproveitar o tempo de espera e os constantes erros devolvidos pelo sistema.

As falhas foram tantas que o Ministério da Educação acabou por informar que a maioria das matrículas de alunos seriam renovadas de forma automática, justificando a decisão devido a um elevado fluxo de acessos registado no portal e a vários ataques informáticos de que a plataforma terá sido alvo.

A notícia confirmada pelas autoridades chinesas da existência de um caso de peste bubónica, também conhecida como peste negra, resultou em milhares de pesquisas no maior motor de busca do mundo. Na mesma semana, foram confirmados mais dois casos, aumentado para três o número total e fazendo tocar os alarmes quando o mundo já enfrenta outra pandemia.

Com base nesta notícia, muitas foram as pesquisas de utilizadores que queriam saber o que é a peste negra e quais os sintomas. A peste bubónica surgiu entre 1347 e 1350 e estima-se que tenha dizimado cerca de metade da população do continente europeu naquela altura. Ficou conhecida como a pandemia mais devastadora na história da humanidade. No entanto, esta é uma doença que nunca desapareceu totalmente. Entre 2010 e 2015, foram registados mais de 3.200 casos em todo o mundo e morreram 584 pessoas.

Na terça-feira, 7 de julho, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, marcou uma conferência de imprensa para revelar que testou positivo para a Covid-19. Ao seu estilo habitual, Bolsonaro tirou a máscara para dizer: “Eu estou muito bem, estou até com vontade de dar uma caminhada. Não o vou fazer, por recomendação médica, mas estou muito bem.”

O presidente, que tem surgido várias vezes em público sem máscara, e que tem incentivado os ajuntamentos, contrariando as diretrizes da Organização Mundial de Saúde (OMS), foi inclusivamente alvo de uma queixa por parte da imprensa brasileira. Retirou a máscara em frente aos jornalistas, logo depois de revelar que está infetado.

Jair Bolsonaro tem protagonizado diversas polémicas desde que tomou posse como presidente do Brasil e é presença assídua nas pesquisas do Google. Esta semana não foi, por isso, exceção.

João Araújo, advogado do ex-primeiro-ministro José Sócrates no âmbito do processo Operação Marquês, morreu na passada quarta-feira, vítima de doença prolongada. Polémico e carismático, o seu óbito foi outro dos tópicos mais pesquisados pelos portugueses.

A chegada de Rúben Amorim ao comando técnico do Sporting parece ter mudado muita coisa. Mas se há coisa que (ainda) não conseguiu mudar é o “mau feito” de Acuña. A história de que o jogador argentino se desentendeu com o companheiro de equipa Jovane Cabral, depois do empate a zeros frente ao Moreirense, mereceu bastante atenção nas pesquisas dos portugueses. O tema fecha o top 5 dos tópicos mais pesquisados na semana.

Já na noite de quinta-feira, e com o FC Porto a apenas um ponto de se tornar campeão, a atenção da grande parte dos portugueses esteve centrada nos dois jogos que podiam dar o título aos “dragões”. Primeiro o Tondela-FC Porto, com a formação azul e branca a vencer por 3-1, ficando à espera que o eterno rival Benfica perdesse, garantindo já esta semana o título de campeão. No entanto, o Benfica empatou a uma bola no terreno do Famalicão e adiou a que parece mais do que inevitável conquista do campeonato pelo FC Porto.

Lá fora

  1. Obrigatório usar máscara. Com o número de casos de Covid-19 a aumentar, a Proteção Civil da Catalunha decidiu aprovar uma lei que obriga todas as pessoas a usarem máscara em público. Quem não o fizer, terá de pagar uma multa no valor de 100 euros. As Ilhas Baleares seguiram o mesmo exemplo e também vão forçar a utilização de máscara em todos os espaços públicos, interiores ou exteriores.
  2. China quer fazer as pazes. A relação entre chineses e americanos já não era famosa e pior ficou desde que começou a pandemia do novo coronavírus. Agora, através do ministro dos Negócios Estrangeiros, a China diz estar disponível para uma “reconciliação”. “A China está pronta para falar se os Estados Unidos quiserem. Somente o diálogo pode evitar mal-entendidos”, disse Wang Yi, que insiste que a solução passa por Washington aceitar o país asiático como ele é.
  3. O vírus anda no ar. A Organização Mundial de Saúde admitiu esta semana ter evidências de que o novo coronavírus se transmite pelo ar e deixou recomendações para as pessoas se protegerem evitando estar em espaços fechados. A recomendação da OMS surgiu depois de um grupo de 239 cientistas ter alertado para essa possibilidade.

Nos negócios

  1. Adeus, TikTok? Primeiro foi a Índia a proibir a rede social do momento. Agora, os Estados Unidos preparam-se para seguir o mesmo caminho. Mike Pompeo, secretário de Estado norte-americano, revelou que Donald Trump está a levar “muito a sério” a hipótese de também proibir o acesso à aplicação. Em janeiro deste ano, o TikTok contava com 800 milhões de utilizadores.
  2. Novos smartphones a caminho. A Samsung revelou esta semana que se prepara para lançar novos smartphones e apontou como data de lançamento o dia 5 de agosto. O “Galaxy Unpacked” será um evento virtual onde a gigante sul-coreana deverá apresentar o Samsung Galaxy Note 20 e Galaxy Note 20 Plus.
  3. Twitter pago? Tudo começou por uma oferta de emprego que rapidamente se tornou em notícia: “Somos uma nova equipa, com o nome de código Gryphon. Estamos a construir uma plataforma de subscrição, que poderá ser reutilizada por outras equipas no futuro. Isto é algo novo para o Twitter.” Mais tarde, o Twitter mudou a descrição e não avançou mais esclarecimentos. Esta não é a primeira vez que se fala numa eventual mudança de estratégia por parte da empresa. Em 2017, foi notícia que o Twitter estava a preparar um modelo de subscrição pago para empresas.

Incontornáveis da semana

Campeões da Europa. Esta sexta-feira fez precisamente quatro anos que Portugal conquistou o título de campeão europeu de futebol, num jogo sofrido frente à anfitriã França, que apenas ficou decidido no prolongamento com um golo de Éder. Mais do que palavras, o melhor mesmo é ver o vídeo.

25 anos de Super Bock Super Rock. A 9 de julho de 1995 aconteceu a primeira edição do festival Super Bock Super Rock na Gare Marítima de Alcântara, em Lisboa. Os Cure foram os cabeças de cartaz.

Nota: A Google Trends é uma rubrica semanal, publicada todos os sábados, que resume os temas mais populares da internet com base na ferramenta homónima da Google. É assinada pelo jornalista do ECO Tiago Lopes.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Google Trends: Bolsonaro com Covid, desespero no portal das matrículas e o regresso da peste

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião