Benfica capta 50 milhões de euros junto de 3.688 “adeptos”

Obrigações do clube foram compradas por investidores institucionais e de retalho, numa operação em que a procura ficou próxima de 70 milhões de euros. Encaixe vai servir para reforçar o plantel.

O Benfica emitiu 50 milhões de euros em obrigações a três anos, junto de 3.688 investidores institucionais e de retalho. A forte procura por nova dívida da linha “Benfica SAD 2020-2023” levou o clube encarnado a rever em alta o montante inicial que previa angariar. O encaixe financeiro será usado para reduzir a dependência da banca e para reforçar o investimento na equipa de futebol.

A procura por dívida atingiu 69,5 milhões de euros, acima do total emitido, segundo dados divulgados esta segunda-feira pela Euronext. Aliás, logo no primeiro dia da oferta, o Benfica já tinha conseguido o total que previa colocar e veio, por isso, a rever em alta o montante.

“Esses investidores são, na maioria dos casos, pessoas que têm investido com regularidade”, disse o CEO do Grupo Benfica, Domingos Soares de Oliveira. A SAD financia-se no mercado de capitais há 17 anos. “O facto de termos ultrapassado logo no primeiro dia [o montante inicial da oferta] demonstra que estas pessoas continuam a confiar“, afirmou

O diretor financeiro apontou também para o “momento absolutamente único” causado pela pandemia. “A situação económica que vivemos hoje não é o momento ideal, mas sentimos que era o timing certo para avançar”, sublinhou.

A colocação acontece numa altura de stress e “demonstra o interesse dos investidores nacionais” por ativos portugueses, bem como que “o financiamento em mercado de capitais reforça a sustentabilidade financeira das empresas”, em momentos de crise, concordou a head of listing da Euronext Lisbon, Filipa Franco.

Procura foi 1,4 vezes superior à oferta

Fonte: Euronext Lisbon

A grande maioria (63,1%) dos investidores subscreveu até 5.000 euros, enquanto 3,5% ficou com mais de 50 mil euros, mostram os dados finais da operação. Cada obrigação foi emitida a valer cinco euros, sendo que o mínimo de subscrição era de 1.500 euros.

A liquidação e admissão à negociação acontecem na próxima quarta-feira, dia 15 de julho. Até atingir a maturidade a 17 de julho de 2023, estas obrigações vão render aos investidores um juro bruto de 4%.

“Podemos fazer investimentos adicionais para conseguir sucesso desportivo”

Com a revisão em alta do total da emissão, também aumentou o encaixe financeiro que o clube vai ter com a operação. Aos 50 milhões de euros são deduzidos 1,352 milhões de euros para comissões de organização e coordenação global, de colocação e respetivos impostos, bem como 210 mil euros para consultores, auditores e publicidade e outros 38,2 mil euros para custos com a Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM) e a bolsa.

Ficam assim 48,4 milhões de euros que o clube vai usar para reforçar a equipa nos próximos anos. Domingos Soares de Oliveira referiu que o Benfica fica com uma “folga adicional” para “fazer investimentos adicionais para conseguir sucesso desportivo nas próximas épocas”.

O responsável do clube negou que se estivesse a referir à contratação do treinador Jorge Jesus — “Não confirmo contacto direto com o treinador Jorge Jesus”, disse –, mas falou num reforço do plantel. “Os nossos montantes de investimento nos últimos anos foram sempre robustos. Permite-nos enfrentar a próxima época de maneira tranquila”, rematou.

A pandemia terá um impacto entre 20 e 25 milhões de euros nas contas do clube este ano, sendo que, só em bilhetes, o Benfica perde um milhão de euros por cada jogo à porta fechada. A este montante acrescem merchandising ou negócios de jogadores.

Ainda assim, o CEO acredita que “é expectável que o mercado [de transferências de jogadores] se anime nos próximos meses” e garantiu: “não vamos entrar em processos de vendas com saldos”.

(Notícia atualizada pela última vez às 17h30)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Benfica capta 50 milhões de euros junto de 3.688 “adeptos”

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião