Francesa Saint-Gobain investe 5,3 milhões em nova unidade na Maia e está a contratar

  • Lusa
  • 21 Julho 2020

A multinacional francesa Saint-Gobain anunciou a abertura de uma nova unidade de produção na Maia. Com esta expansão a empresa quer contratar mais de 200 pessoas.

A multinacional francesa Saint-Gobain anunciou esta terça-feira a abertura de uma nova unidade de produção na Maia, dedicada aos produtos abrasivos, que terá um investimento de 5,3 milhões de euros e que proporcionará mais de 200 novos empregos.

O anúncio foi feito durante a visita do Secretário de Estado Adjunto e da Economia, João Neves, às instalações do grupo em Aveiro.

Em declarações à Lusa, o diretor geral da Saint-Gobain em Portugal, José Martos, disse que apesar de ainda não haver uma data prevista, a fábrica deverá abrir em 2021.

“A obra está em marcha, mas os trabalhos não estiveram a decorrer de uma forma normal, devido a esta situação da pandemia e, portanto, estamos com incerteza sobre a data de abertura. Mas durante o próximo ano a fábrica estará pronta a funcionar”, disse José Martos.

Além da nova unidade na Maia, a empresa vai abrir uma nova linha de pastas para a Saint-Gobain Weber, em Aveiro, que permitirá ampliar a capacidade de produção com o objetivo de fornecer o mercado da península ibérica.

Foi ainda anunciada a aposta em tecnologia sofisticada, na fábrica de Santo Tirso, o que incrementará a capacidade, a produtividade e a produção de novos formatos de vidros para fachadas, bem como a expansão dos seus armazéns no Carregado.

José Martos diz que o mercado do setor da construção em Portugal “está forte”, havendo um volume importante de obras em marcha.

“Apesar da pandemia, acho que o setor da construção, provavelmente, foi um dos setores menos afetados e a situação ainda é muito boa”, disse o direto geral da Saint-Gobain em Portugal.

Fundada há mais de 350 anos, a Saint-Gobain está presente em Portugal desde 1962. Tem 11 empresas, oito fábricas e 750 colaboradores, mantendo uma forte atividade de Investigação e Desenvolvimento (I&D) localizada em Aveiro.

Em Portugal, o grupo ligado ao setor automóvel, da indústria e da construção, teve vendas de 230 milhões de euros em 2019.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Francesa Saint-Gobain investe 5,3 milhões em nova unidade na Maia e está a contratar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião