Perdas para turismo mundial atingem quase 273 mil milhões até maio, diz a OMT

  • Lusa
  • 28 Julho 2020

Entre janeiro e maio, a Covid-19 provocou perdas de 272,8 mil milhões de euros no turismo mundial, segundo o barómetro da OMT. É mais do triplo das perdas de receitas registadas na crise de 2009.

A pandemia de covid-19 provocou perdas de 320 mil milhões de dólares (272,8 mil milhões de euros) no turismo mundial, de janeiro a maio, segundo o barómetro publicado esta terça-feira pela Organização Mundial do Turismo (OMT).

“É mais do triplo das perdas registadas ao nível de receitas do turismo internacional durante a crise económica mundial de 2009”, considerou a organização, que é uma agência das Nações Unidas e tem sede em Madrid.

De janeiro a maio, o número de turistas internacionais caiu 56% em relação ao mesmo período de 2019, o que representa 300 milhões de visitantes a menos.

Apesar da lenta recuperação do turismo, especialmente no hemisfério norte, “o índice de confiança estabelecido pela OMT está em mínimos históricos“, segundo um comunicado.

Entre os principais riscos para o setor, a OMT aponta “o ressurgimento do vírus e o risco de novos confinamentos”, indicando também a situação na China e nos Estados Unidos, importantes pontos de origem de turistas.

No início de maio, a OMT previa uma queda de 60 a 80% no número de turistas internacionais no ano de 2020, com perdas que podem ascender a um total entre 910 mil milhões e 1,2 bilião de dólares. A agência receia que “estejam em perigo entre 100 e 120 milhões de empregos diretos no turismo”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Perdas para turismo mundial atingem quase 273 mil milhões até maio, diz a OMT

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião