Microsoft em negociações para comprar o TikTok

A Microsoft está em negociações para comprar a aplicação TikTok, numa altura em que o presidente dos EUA se prepara para forçar a chinesa ByteDance a vender este ativo.

Donald Trump prepara-se para forçar a ByteDance a vender o TikTok e a Microsoft é a potencial compradora, revelam notícias avançadas pela imprensa norte-americana.

Segundo o The Wall Street Journal, que cita fontes conhecedoras da decisão, o presidente dos EUA vai assinar uma ordem executiva a obrigar a empresa chinesa a vender este ativo.

Ao mesmo tempo, o The New York Times escreve que a Microsoft está em negociações para adquirir a popular aplicação de vídeos, que tem largos milhões de utilizadores no país.

A aplicação foi considerada uma ameaça à segurança nacional dos EUA visto que a ByteDance tem sede em Pequim, onde o regime obriga as empresas a partilharem informação privada de cidadãos com as autoridades.

O TikTok é uma das três aplicações controladas pela ByteDance e ainda não gera receitas, pois não tem publicidade. Em contrapartida, as duas outras aplicações, uma igual mas focada no mercado asiático e outra de notícias, permitiram que a empresa alcançasse uma avaliação em torno dos 100 mil milhões de dólares.

Contudo, a aplicação tem potencial para gerar milhares de milhões de dólares quando abrir as portas aos anunciantes. Um estudo recente apontava que os utilizadores já passam mais tempo por dia no TikTok do que no Instagram, em média.

A confirmar-se a compra pela Microsoft, a empresa presidida por Satya Nadella poderá entrar em concorrência direta com o próprio Facebook. É público que a rede social está a preparar uma alternativa ao TikTok, à qual chamou de Instagram Reels, e que poderá ver a luz do dia já em agosto.

(Notícia atualizada pela última vez às 20h15)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Microsoft em negociações para comprar o TikTok

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião